23 de janeiro de 2017

Do Pároco

Santíssima Trindade, Pai, Filho e Espírito Santo... 

Festa de entrega dos cabazes de Natal: com a colaboração de muitos paroquianos, do Colégio Planalto, da Escola EB nº 1 de Telheiras e da Escola Alemã, o Natal foi mais alegre para muitas pessoas.Apesar de não localizar a citação textual, penso que foi a Lúcia que manifestou que a escolha dos dias 13 para Nossa Senhora aparecer em Fátima teria que ver, muito provavelmente, com o Mistério de Deus, Uno e Trino: Três Pessoas divinas, um só Deus.

Suponho que a maioria dos cristãos portugueses, e não só, iniciamos o Ano Centenário das aparições com uma profunda alegria e um profundo agradecimento a Nossa Senhora. É lógico, por isso, que desejemos viver bem este ano.
Entre as muitas maneiras de percorrermos os próximos meses, sugiro, entre outras possibilidades, que procuremos reviver por dentro as experiências fundamentais dos Pastorinhos: fé nas palavras de Nossa Senhora, docilidade à missão recebida, esperança viva que os leva a rezar cada dia mais, sentido do desagravo, amor crescente ao Santo Padre, vontade de salvar as almas da condenação eterna, espírito de sacrifício pelos pecadores e com o desejo de consolar Jesus, adoração eucarística, desprendimento heroico das opiniões alheias contrárias à mensagem da Senhora mais brilhante que o sol, coragem para falar de Deus, e um longo etecetera.
Comecemos pelo início. Um Anjo preparou-os para o encontro de maio com a Rainha do Céu. Na «terceira» das aparições, o Anjo de Portugal ensina-lhes a oração de desagravo à Santíssima Trindade: «Santíssima Trindade, Pai, Filho e Espírito Santo, adoro-vos profundamente e ofereço-Vos o preciosíssimo Corpo, Sangue, Alma e Divindade…».
 Uma oração não propriamente «simples» mas que as crianças aprenderam rapidamente, e rapidamente a passaram a rezar. O Anjo não hesitou em falar-lhes de Deus Uno e Trino, dando por assente que eles eram conhecedores da existência e da terminologia básica do grande Mistério de Deus.
O Céu não pensa que, por ser um Mistério, não seja apropriado para d’Ele se falar às crianças; ou que o Mistério de Deus em Si mesmo seja uma «questão teórica», sem eco na vida diária. A «catequese» do Anjo começou pelo essencial: Quem é Deus, como deve ser tratado e amado, a urgência de Lhe rezarem mais. (talvez as nossas catequeses se devam inspirar um pouco mais nesta pedagogia de ensinar as verdades essenciais, sem subestimar a capacidade das crianças em sintonizar com o Deus e as verdades sobrenaturais).
Lúcia e os primos permaneceram nos dias seguintes imersos numa atmosfera sobrenatural, rezando como o Anjo os ensinara, com uma íntima paz e felicidade, concentrados em Deus.
E se começarmos o Ano Centenário assim?
Aprendendo, repetindo e ensinando aquela oração à Santíssima Trindade, procurando estar mais centrados em Deus, Pai, Filho e Espírito Santo, meditando na Encarnação do Verbo, na Eucaristia, no desejo de afinar a nossa vida com o sapientíssimo querer de Deus?
Que tal se pedirmos a Deus que nos envolva nessa «atmosfera sobrenatural» que é o próprio Deus?


Pe. João Paulo Pimentel

Catequese de criança

Rapazes: terça-feira (17.45h) ou sábados (11h);
Raparigas: quinta-Feira (17.45h) ou domingos (11h).

Festas e eventos da Catequese ao longo do ano:
1º Ano – Festa do Pai Nosso: domingo 30 de abril (10h)
2º Ano – Festa da Alegria (Primeira Confissão): sábado 4 de março
3º Ano –Primeira Comunhão com o Crisma: sábado 28 de janeiro, às 10.00h, com D. Joaquim Mendes.
4º Ano –Entrega do Credo:  domingo 7 de maio (10h)
5º ano – Terço e Escapulário: domingo 14 de maio (10h)
6º Ano – Profissão de Fé:  domingo 21 de maio (10h)
8º Ano – Ano da Vida:  domingo 28 de maio (10h)
9º Ano – Festa do Envio com receção do Crisma: sábado 20 de maio (10h)

Cursos para adultos

Teologia para todos: para entender e contemplar o Credo.
Sessão 4:  Anjos e Homens: amados por si mesmos.
Dia 18 de janeiro. Das 21h30 às 22h15.

Curso sobre a família e o amor humano:
Baseado nas catequeses de S. João Paulo II sobre a teologia do corpo. 
A.  Para senhoras e raparigas mais velhas: quinta-feira, dias 12 e 26, às 13.00h. Entrada pela Rua Filipe Duarte.
B.  Para todos: sexta-feira, dias 13 e 27, às 21.15h. Entrada pela Rua Filipe Duarte.

Recoleções mensais (na igreja)

Senhoras: dia 12 (5ª) – 19.10h
Homens: dia 10 (3ª) – 19.10h

Devoção dos Cinco primeiros sábados

«Diz que todos aqueles que durante cinco meses, ao primeiro sábado, se confessarem, recebendo a Sagrada Comunhão, rezarem um Terço e me fizerem quinze minutos de companhia, meditando nos mistérios do Rosário, com o fim de me desagravar, Eu prometo assistir-lhes, na hora da morte, com todas as graças necessárias para a salvação dessas almas» (De Nossa Senhora à Lúcia, Pontevedra, 1925).
No ano Centenário das aparições de Nossa Senhora em Fátima, vamos facilitar a todos os que o desejarem, viver bem esta devoção com a intenção de desagravar Nossa Senhora. Assim:
- nos cinco primeiros sábados, de janeiro a maio, haverá Missa aos sábados de manhã, às 10h30 (com exceção no dia 6 de maio que será às 9.15); 
- nesses dias, às 17h15, o sacerdote dará uma meditação de 15 minutos centrada nos mistérios do terço;
- como é habitual, o terço será rezado às 17h45;
- continuam as confissões durante toda a semana nos horários habituais (portanto, também ao sábado das 17 às 19.30).
A Missa da parte da manhã e a meditação dos mistérios terá, pois, lugar nos sábados: 7 de janeiro, 4 de fevereiro, 4 de março, 1 de abril e 6 de maio.

Do Tesouro da Igreja

Rezar pela unidade dos cristãos

Os cristãos das várias Igrejas e Comunidades eclesiais unem-se nestes dias numa invocação coral para pedir ao Senhor Jesus o restabelecimento da plena unidade entre todos os seus discípulos.
Pedindo a graça da unidade, os cristãos unem-se à própria oração de Cristo e comprometem-se em agir ativamente para que toda a humanidade O receba e reconheça como o único Pastor e Senhor, e assim possa experimentar a alegria do seu amor. 
O Concílio Vaticano II dedicou uma grande atenção ao tema da unidade dos cristãos, especialmente mediante o Decreto sobre o ecumenismo Unitatis redintegratio onde, entre outras coisas, são fortemente sublinhados o papel e a importância da oração pela unidade.
O Concílio observa que a oração se encontra no próprio cerne de todo o caminho ecuménico. "Esta conversão do coração e esta santidade de vida, juntamente com as orações particulares e públicas pela unidade dos cristãos, devem considerar-se como a alma de todo o movimento ecuménico" (UR, 8).
O que vivificou e continua a animar este caminho para a plena comunhão entre todos os cristãos é, sobretudo, a oração.
O Decreto conciliar sobre o ecumenismo faz referência à oração pela unidade quando, precisamente na conclusão, afirma que o Concílio está consciente de que "este propósito de reconciliar os cristãos na unidade da Igreja de Cristo, una e única, excede as forças e os dotes humanos. Por isso, deposita toda a sua esperança na oração de Jesus Cristo" (UR, 24).
É a consciência dos nossos limites humanos que nos impele ao abandono confiante nas mãos do Senhor. Analisando bem, o profundo sentido desta Semana de Oração consiste precisamente em assentar de maneira sólida na oração de Cristo, que na sua Igreja continua a rezar a fim de que "todos sejam um só... para que o mundo creia" (Jo 17, 21).
Hoje sentimos vigorosamente o realismo destas palavras. O mundo sofre pela ausência de Deus, pela inacessibilidade de Deus e sente o desejo de conhecer o rosto de Deus. Contudo, como poderiam e podem, os homens de hoje, conhecer este rosto de Deus no rosto de Jesus Cristo, se nós cristãos estivermos divididos, se uns ensinam contra os outros, se uns falam contra os outros? Somente na unidade podemos mostrar realmente a este mundo que tem necessidade dele o rosto de Deus, o rosto de Cristo. 
A Virgem Maria, Mãe da Igreja, obtenha para todos os discípulos do seu Filho divino a graça de poderem viver quanto antes em paz e na caridade recíproca, de maneira a darem um convincente testemunho de reconciliação diante do mundo inteiro, para tornar acessível o rosto de Deus no rosto de Cristo, que é o Deus connosco, o Deus da paz e da unidade.


Bento XVI, excertos da Audiência geral, na semana de oração pela unidade dos cristãos, 23.I.2008

Exposição com o Santíssimo Sacramento

Quintas-feiras, das 16h às 18.15h (às 16h, terço da misericórdia; às 17h50, terço).
Venha rezar a Nosso Senhor exposto na Custódia!

Baptismos

Dia 7, sábado, 12h: Bryan e Kevin Nascimento Caria.

Bênção anual das casas

A visita do pastor às famílias nas suas casas faz com que o próprio Cristo entre na nossa casa, para nos trazer a paz e a felicidade. Quem desejar receber esta bênção pode contactar o pároco.

Agrupamento de Escuteiros nº 683

14 - Comemoração do 39º aniversário da fundação do Agrupamento

28 - Participação dos caminheiros na actividade de Núcleo São Paulo ao Rubro

Tweets do Papa Francisco

A nossa alegria vem da certeza de que o Senhor está próximo, com a sua ternura, a sua misericórdia, o seu perdão e o seu amor.
* * *
O amor de Deus, que sabe ler o coração de cada pessoa para entender o seu desejo mais escondido, deve ter primazia sobre tudo.
* * *
Aprendamos com a Virgem Maria a ter um coração humilde e capaz de acolher os dons de Deus.
* * *
Jesus deu sentido à minha vida aqui na terra, e isso dá-me esperança para a vida futura.
* * * 
Nada daquilo que um pecador arrependido coloca diante da misericórdia de Deus permanece sem o abraço de seu perdão.
* * * 
Agradeço-lhes o vosso afeto. Não se esqueçam de rezar por mim.