7 de maio de 2016

Do pároco

Totus Tuus! Sem ti, nada!

       Mês de Maria, Maio convida-nos a ter com Nossa Senhora uma relação filial intensa, pois Nossa Senhora é verdadeiramente uma Mãe cheia de carinho e de atenção para com as muitas necessidades, preocupações, alegrias e tristezas dos seus filhos.
       Quando, no Calvário, junto de Jesus crucificado, Maria aceita o convite que lhe faz para se tornar nossa Mãe, a Virgem Santíssima aceita-o sem reservas, começando desde então a encarar todos nós com um olhar materno incondicional: bem sabe que tudo que o Filho lhe pede e deseja para os homens é sempre o melhor para eles.
       Jesus não se importa de deixar de ser o Filho único de Maria. Recordou certamente todo o cuidado educativo que a sua Mãe Lhe dispensou: o exemplo que Lhe dava, o amor com que O tratava e as muitas atenções que sempre teve para com Ele e com todos os vizinhos, amigos e familiares.
       Perante este panorama de virtude, achou por bem desprender-se duma filiação exclusiva. Considerou que Maria poderia ser para todos um caminho seguro e oportuno para os ajudar a santificar-se, com a sua intercessão incessante, o cuidado pelo bem-estar espiritual dos filhos e, enfim, tudo o que é necessário para viver o que o primeiro dos Mandamentos enuncia: amar a Deus sobre todas as coisas.
       Santa Maria passaria a ser a grande mestra das nossas relações com Deus, tornando-as mais familiares e acessíveis. Efectivamente, se Deus é Pai e está nos céus, aí temos agora – por vontade divina – também a Mãe exemplar que aproxima Deus de nós e nós de Deus duma maneira simples, com a sua intercessão e protecção maternal.
       Deus como que Se “obriga” a ouvir e a resolver de modo positivo todos os recados que a sua Mãe Lhe faz chegar. Certamente que Maria santíssima é apenas uma criatura, e não é de natureza divina. Por isso, o culto que lhe prestamos é de veneração e não de adoração, que só a Deus é devido.
       Conta-se que a mãe de uma família numerosa, querendo que o seu filhito mais novo prestasse a Nossa Senhora, durante o mês de Maio, uma devoção mais intensa, explicava-lhe que, neste mês de Maria, dada a importância da Mãe de Cristo e nossa Mãe, ela fazia anos todos os dias, pelo que o convidava a oferecer diariamente uma prenda generosa à sua Mãe do Céu.
       O rapazito protestou primeiro, parecendo-lhe um exagero que Nossa Senhora fizesse anos durante um mês inteiro, pelo que se prontificava a dar-lhe os parabéns num determinado dia de Maio. Mas só isso.
       A mãe ficou um pouco desanimada. Mas antes de voltar à carga, ouviu esta “convincente” explicação do seu filho: “Tens razão. Como Nossa Senhora é Mãe de todos os homens, se todos lhe telefonassem a dar os parabéns no mesmo dia, entupiam-se com chamadas os telefones do Céu. Está bem, dar-lhe-ei uma prendazita todos os dias”.
       E nós podemos seguir-lhe o exemplo. Quantas boas prendas não teremos para dar todos os dias, durante este mês, à nossa Mãe do Céu: trabalhar melhor e com total honestidade, não criticar ninguém, procurar ser semeador de paz e de alegria entre os meus familiares,colegas de profissão ou amigos, rezando por todos, ser generoso, também materialmente, com os pobres necessitados, etc. Nossa Senhora aumentará o seu amor por nós e sentir-se-á, no Céu, uma Mãe agradecida que falará bem de nós a Deus e a todas as pessoas que lá estão.

Tweets do Papa Francisco

Celebrar o Jubileu da Misericórdia é aprender a não ficar prisioneiros do passado, é acreditar que as coisas podem tomar outro rumo.

* * *
Formar uma família é ter a coragem de fazer parte do sonho de Deus, de construir um mundo onde ninguém se sinta só.
* * *
Todas as pessoas – verdadeiramente todas – são importantes aos olhos de Deus.

* * *
Queridos jovens, os vossos nomes estão escritos no céu, no coração misericordioso do Pai. Sejam corajosos, contracorrente!

Recolecções mensais (na igreja)

Homens: 3ª Feira, dia 10, 19.10h
Senhoras: 5ª Feira, dia 12, 19.10h

Catequese de crianças

Os Alunos do 6º Ano, no dia 15, na Missa das 10h do Domingo de Pentecostes, terão a celebração da Festa da Profissão de Fé. Depois da Missa, com o que os pais e os próprios alunos trouxerem de casa (salgados, doces, bebidas, etc.), far-se-á uma pequena confraternização no Salão da Igreja. Pede-se que tudo seja entregue no Salão até às 9.45h.
Os pais dos alunos do 6º Ano terão uma Reunião de Pais no dia 10 (3ª), às 21.30h, no Salão da igreja.

Obs. - Todos os Anos da catequese paroquial acabarão as suas aulas na última semana de Maio.

Cursos para adultos

Preparação para o Crisma
(Orientação: P. Rui Rosas da Silva)
Dia 3 (3ª) às 19.15, será a última aula;
Dia 17 (3ª) às 19.15h (dentro da igreja): Celebração Penitencial;
Dia 24 (3ª), às 19.15h: ensaio geral de preparação da Cerimónia (dentro da igreja);
Dia 28 (Sábado) Missa às 10.00h com a administração do sacramento da Confirmação ou Crisma, por Sua Exa. Revma. D. Joaquim Mendes, Bispo Auxiliar de Lisboa.

Teologia para Todos
(Orientação: P. João Campos)
Dia 19 (5ª) às 19.15h ou 21.30h. Tema: A Verdade que liberta.

Do Tesouro da Igreja

A Festa do Corpo de Deus

O unigénito Filho de Deus assumiu a nossa carne para nos tornar participantes da divindade, fez-Se homem para fazer dos homens deuses. Tudo quanto assumiu da nossa condição humana, tudo contribuiu para nossa salvação: ofereceu em sacrifício a Deus Pai o seu Corpo no altar da cruz para nossa reconciliação, e derramou o seu sangue como preço do nosso resgate e purificação de todos os nossos pecados.
            Mas para que que em nós se conservasse perenemente a memória de tão grande benefício, deixou aos seus fiéis, sob as aparências do pão  e do vinho, o seu Corpo como alimento e o seu Sangue como bebida.
            Oh precioso e admirável banquete, salutar e cheio de toda a suavidade! Que há de mais precioso que este banquete? Já não é a carne de touros e cabritos que se nos oferece a comer, como na Antiga Lei, mas o próprio Cristo, verdadeiro Deus, que se nos dá em alimento. Que há de mais salutar e admirável que este sacramento? Nele se purificam os nossos pecados, aumentam as virtudes e se nutre a alma com a abundância dos dons espirituais.
...........................
S. Tomás de Aquino, Opusculum, 57, in festo Corporis Christi, lect 1-41

No mês passado

No Domingo, dia 17, realizou-se a Festa do Pai Nosso dos alunos do 1º Ano da Catequese. Tinham aprofundado nas aulas como o Criador do universo é nosso Pai, o que nos torna todos irmãos. A recitação solene do "Pai Nosso" na Missa paroquial, junto com os familiares e com todos foi o modo de agradece-Lhe o que nos deu: o seu amor que nos enche de paz.
Após a entrega dos diplomas, houve um agradável convívio com as famílias no Salão da Igreja, como é habitual. As “iguarias” que sobraram foram entregues à Comunidade das Irmãs do Bom Pastor, nossas paroquianas.

Dar a quem precisa

Temos continuado a distribuir, duas vezes por mês, géneros alimentícios, roupas e também remédios a famílias e pessoas carecidas. A generosidade dos paroquianos tem sido patente, como sempre. No entanto, vamos lembrá-la de novo, porque necessitamos de atender mais pedidos que nos não é possível de momento satisfazer por falta de meios. Sabendo que estas dádivas se efectuam de quinze em quinze dias, convidamos todos os paroquianos e pessoas amigas a contribuírem, sobretudo com géneros alimentícios duráveis, que poderão ir entregando durante o mês.

Agrupamento de Escuteiros nº 683

Dias 2 a 8 – Participação na 7ª Edição do Festival de Telheiras: encher as ruas de vida e movimento num evento de aproximação entre pessoas e instituições.
Dia 6 – Vigília de Oração de preparação para as Promessas. A cerimónia irá decorrer no Lagar da Quinta de S. Vicente.
Dia 8, Domingo – Missa campal com celebração das Promessas e entrega de duas insígnias internacionais “Scout of de World Award”.
Dias 13 e 14 – Os pioneiros vão participar na actividade do Núcleo na Serra de Montejunto: Raid TT.
Dia 14 – Os lobitos integrar-se-ão na actividade do Núcleo: Festa do Sol, que decorre no castelo de S. Jorge.
Dia 28 – Colaboração do Agrupamento na recolha de alimentos para o Banco Alimentar contra a Fome, na loja do Pingo Doce de Telheiras.

Do Pároco

Deus à mão de semear

Às vezes podemos sentir uma espécie de distância grande entre nós e Deus. A ideia que a fé cristã de quem é Deus e de quem somos nós só fala de proximidade.

Criou-nos à sua imagem e semelhança, como escreve o Génesis. Assim podemos conhecê-Lo – Deus é um ser inteligente – e amá-Lo, retribuindo o Amor que nos tem.

Mas Deus não apenas nos criou. Redimiu-nos. Reconquistou a possibilidade de podermos atingir a felicidade eterna – o Céu –, que o pecado humano tinha perdido. Não há maior prova de amizade do que aquele que oferece a sua vida pelos seus amigos, observava Cristo. Foi o que Jesus fez. Foi o que vimos na passada Semana Santa. Ressuscitando ao terceiro dia demonstrou que é Senhor da Vida e da Morte. Manifestou que era homem e podia morrer, mas não aniquilou a sua existência.

E encarnou, não de uma forma esquisita ou chamativa, como se fosse uma espécie de um ET exuberante que aparecesse entre os homens. Pelo contrário, foi concebido e depois nasceu como todos nós, inerme. Se Nossa Senhora e S. José lhe não tivessem cuidado como fazem os pais, Jesus Cristo teria morrido. Quis ser homem, não de um modo estranho. Aceitou todas as consequências inerentes à natureza humana.

Quando os apóstolos pedem a Cristo que os ensine a rezar, não lhes indica que falem para um ente longínquo, inacessível. Jesus explica que as nossas relações com Deus são familiares, a de um filho com o pai. “Pai Nosso...”

O Senhor ascendeu aos céus até aos fins dos tempos. Mas ficou entre nós, como um amigo verdadeiro que não quer afastar-se. Na Eucaristia Cristo está presente realmente no Sacrário. Está ali, dia e noite, à espera de nós, e que lhe contemos as nossas dificuldades, alegrias, tristezas, enfim a vida tal como ela é.

Na Cruz,  Jesus não se importou de deixar de ser o filho único de Maria. Quis que a sua Mãe passasse a ser nossa Mãe. Assim, Cristo "obriga-se" a aceitar os pedidos da sua Mãe, não só porque pede pelos homens que quer salvar, mas porque agora é uma Mãe verdadeira que pede pelos seus filhos.

Ofendemos a Deus? Talvez sejamos justos, pois o justo peca sete vezes por dia, diz o livro dos Provérbios. Mas o perdão divino está sempre activo. E é concreto: está no sacramento da Penitência ou Confissão. Aí, ficamos seguros de que os pecados ficam mesmo perdoados. Basta estar sinceramente arrependidos.

Como é possível pensar no nosso Deus como um Deus distante?

Do Tesouro da Igreja

Muitas igrejas que são uma só Igreja

A Igreja, espalhada pelo mundo inteiro até aos confins da terra, recebeu dos Apóstolos e de seus discípulos a fé num só Deus, Pai todo-poderoso, que fez o céu e a terra, o mar e tudo quanto neles existe; e num só Jesus Cristo, Filho de Deus, que Se fez homem para nossa salvação; e, no Espírito Santo, que pela boca dos profetas anunciou antecipadamente os desígnios de Deus: a vinda de Jesus Cristo, Nosso Senhor, o seu nascimento de uma Virgem, a sua paixão e ressurreição de entre os mortos, a sua ascensão corporal ao Céu, a sua futura vinda do Céu com a Glória do Pai.

(...) A Igreja recebeu (...) e guarda diligentemente essa pregação e essa fé, apesar de espalhada pelo mundo inteiro, guarda-a como se habitasse numa só casa; acredita nela como quem possui uma só alma e um só coração; e proclama-a, ensina-a e transmite-a, como se tivesse uma só boca. Porque, embora no mundo haja línguas diversas, a força da tradição é só uma para todos.

Não crêem nem transmitem coisas diferentes as igrejas fundadas na Germânia, as que se encontram na Ibéria e nas terras dos celtas, nem as do Oriente, do Egipto e da Líbia, ou as do centro do mundo. Assim como o sol, criatura de Deus, é um só e o mesmo para todo o universo, assim também a pregação da verdade brilha em toda a parte e ilumina todos os homens que desejam chegar ao conhecimento da verdade.”
...................................
Santo Ireneu (Séc. III), do Tratado “Contra as heresias” (L1, 0, 1-3; PG 7,550.554).

Dar a quem precisa

No mês passado, uma vez mais, como fazemos todos os anos, distribuímos o Folar da Páscoa a cerca de cinquenta famílias carecidas, na 3ª e 4ª Feira Santa.
Tivemos, como sempre, a colaboração generosa dos paroquianos, que trouxeram uma boa quantidade de alimentos e também de roupas e dinheiro. Outra ajuda concreta e substancial foi a do Colégio Planalto, através do seu departamento de Colaboração Familiar, que fez a recolha de muitas boas dádivas para esta iniciativa.
Nos tempos que correm, em que as necessidades de tanta gente reclama a nossa abertura para dar e acorrer a quem necessita, Deus decerto que está contente com esta iniciativa. A todos, muito obrigado e que Deus lhes pague. E que sirva de incentivo para vivermos melhor o Jubileu do Ano da Misericórdia, como nos convidou o Papa Francisco.

Catequese de crianças e cursos para adultos

Catequese de crianças

Festas da Catequese
Os do 1º Ano , no Domingo dia 17, na Missa das 10h terão a FESTA DO PAI NOSSO.

Cursos para adultos

Preparação para o Crisma (Orientação: P. Rui Rosas da Silva) Aulas às 3ªs Feiras, 19.15h, nos dias 5 e 19.
Teologia para Todos (Orientação: P. João Campos) Aulas às 5ªs Feiras, 19.15h ou 21.30h. Próximo tema: dia 21 – A Ecologia humana.

Recolecções mensais (na igreja)

Homens: 3ª Feira, dia 12, 19.10h
Senhoras: 5ª Feira, dia 14, 19.10h

No mês passado

À Festa da Alegria com Primeira Confissão dos que frequentam o 2º Ano da Catequese seguiu-se um agradável convívio com as famílias no Salão da Igreja, que como é habitual, contribuiram generosamente com muitas “iguarias”. As que sobraram foram entregues à Comunidade das Irmãs do Bom Pastor, nossas paroquianas. O mesmo aconteceu depois na da Entrega do Credo com os do 4º Ano (foto).

Tweets do Papa Francisco

Jesus Cristo ressuscitou! O amor venceu o ódio, a vida venceu a morte, a luz expulsou as trevas!

* * *
A Cruz de Jesus demonstra toda a força do mal, mas também toda a omnipotência da misericórdia de Deus.

* * *
Vamos até Ele e não tenhamos medo! Vamos para dizer-Lhe do profundo do nosso coração: “Jesus, confio em Ti!”

* * *
Pequenos gestos de amor, de ternura, de cuidado, que fazem pensar que o Senhor está connosco e assim abre-se a porta da Misericórdia.

Ausências de Sacerdotes

P. João Campos e P. Carlos Santamaria: de dia 22 (6ª) a dia 25 (2ª)

Agrupamento de Escuteiros nº 683

Dias 2 e 3 - Acampamento dos exploradores na Costa da Caparica.

Dia 10 - Participação dos pioneiros e caminheiros na Jornadas Diocesanas da Juventude de Lisboa em Cascais.

Dia 16 - Realização pelas ruas de Telheiras da Via Lucis.

Dia 23 - Participação das 4 secções do agrupamento na actividade regional dia S. Jorge que se realiza em Vila Franca de Xira.

Dia 30 - Participação dos exploradores na actividade de núcleo Idade Verde.


De dia 30 a dia 1 de Maio - Realização de um acampamento de índole escutista envolvendo os pioneiros e caminheiros do agrupamento e jovens/adultos da APCL - Associação de Paralisia Cerebral de Lisboa, com a colaboração da Fraternidade de Nuno Álvares, Núcleo de Rio de Mouro.