30 de janeiro de 2016

Do pároco

Se Deus mudou o mundo com 3 crianças, porque não contigo?

            Para nós, portugueses, Fátima manifesta uma especial predilecção da Mãe de Deus e nossa Mãe, ao fazer uma visita – dir-se-ia “física” – ao nosso país, apresentando-se na Cova da Iria a três compatriotas nossos, que bem podiam ser uma imagem do Portugal de então: simples, humilde e discreto.
            Eram três crianças duma aldeia desconhecida, a quem Maria Santíssima, enviada por Deus, confia uma mensagem de penitência e de oração constantes, que elas, com toda a boa vontade, cumprem da melhor maneira.
            Foi já há perto de cem anos. Mas o que elas fizeram e o que elas viveram suscitou em todo o país e no mundo inteiro uma renovação dos compromissos cristãos de muitíssimas pessoas que, a partir de então, vão a Fátima reconciliar-se com Deus, sob a protecção maternal de Nossa Senhora.
            A lógica divina, tantas vezes discutida e desprezada, revela-se em Fátima na sua plenitude. Deus não precisa do poder humano para espalhar a sua misericórdia. Basta-lhe o concurso de três crianças analfabetas, a quem confia uma tarefa complexa, para que esta vingue e se imponha.
            Deus é omnipotente. Mas ao criar-nos livres, à sua imagem e semelhança, dispõe os seus projectos como melhor entende. Só precisa de instrumentos dóceis que, com singeleza e prontidão, façam o que Ele lhes pede.
            Assim foram os três pastorinhos de Fátima. Não eram importantes, nem estavam bem colocados na vida e na sociedade. Pelo contrário, no seu destino, se Deus, através da sua Mãe, não os tivesse chamado seriam, no presente, pessoas perfeitamente desconhecidas, que teriam realizado a sua existência no anonimato mais normal.
            Deus não quis assim. E, sem mudar o rumo da sua condição, com a maior simplicidade, faz-nos hoje contemplar os pastorinhos com a alegria de ver dois já nos altares, como santos da Igreja, e de ter podido acompanhar o caminho da mais velha dos três, no seu compromisso total com o Senhor numa vida de entrega, primeiro como Doroteia e, depois, como Carmelita.
            Os Beatos Francisco e Jacinta, bem como a irmã Lúcia, são para nós motivo de regozijo e de edificação da nossa Fé em Deus, no seu poder, no seu conhecimento e na sua acção. Qual seria o homem, que ao querer apresentar aos seus semelhantes uma missão universal de compromisso e de doação a Deus, se lembraria de ir à pequena e desconhecida aldeia de Aljustrel, num país pouco importante como o nosso, buscar os instrumentos adequados a essa missão, através do concurso de três crianças analfabetas?
            Com a visita à nossa cidade da imagem peregrina de Fátima, recorramos à nossa Mãe com mais confiança e, bem assim, à intercessão dos três pastorinhos, com o intuito de vivermos com toda a intensidade o Jubileu da Misericórdia, a que o Papa Francisco tanto nos anima.

Tweets do Papa Francisco

Tenhamos confiança na acção de Deus! Com Ele, podemos fazer coisas grandes; Ele nos fará sentir a alegria de sermos seus discípulos

* * *
É melhor uma Igreja ferida mas pela estrada, que uma Igreja doente porque fechada em si mesma.

* * *
Porque sentimos tanta dificuldade em suportar os defeitos dos outros? Esquecêmo-nos de que Jesus suportou todos os nossos pecados?

Recolecções mensais (na igreja) em fevereiro

Homens: 3ª Feira, dia 2, 19.10h
Senhoras: 5ª Feira, dia 11, 19.10h

Catequese de crianças

Festas da Catequese
Os Alunos do 5º Ano, no Domingo, dia 21, na Missa das 10h, terão a celebração do Ano da Aliança. Ser-lhes-á entregue um Terço e imposto o Escapulário do Carmo.

No Domingo, dia 28, na Missa das 10.00h, os alunos do 7º Ano, celebram o Ano da Liberdade, recebendo um crucifixo; e os do 8º Ano, o Ano da Vida, recebendo o Novo Testamento.

Cursos para adultos

Catecúmenos (Orientação: P. Rui Rosas) Além dos encontros combinados, no Sábado, dia 20, na Sé Patriarcal, às 11.00h, haverá o Rito de Eleição, a que devem comparecer todos os catecúmenos que vão receber os Sacramentos da Iniciação Cristã na próxima Vigília Pascal, Sábado, 26/03.

Preparação para o Crisma (Orientação: P. Rui Rosas da Silva) Aulas às 3ªs Feiras, 19.15h, nos dias 9 e 23. Temas: Sacramentos que Jesus instituiu; Os Sacramentos da Iniciação Cristã.

Teologia para Todos (Orientação: P. João Campos) Aulas às 5ªs Feiras, 19.15h ou 21.30h. Próximo tema: dia 18 – O Dom da Vida.

Do Tesouro da Igreja

Crianças cheias do Amor a Deus


Ao beato Francisco, o que mais o impressionava e absorvia era Deus naquela luz imensa que penetrara no íntimo dos três. Na sua vida dá-se uma transformação radical (...). Entrega-se a uma vida espiritual intensa que se traduz em oração assídua e fervorosa (...). Suportou os grandes sofrimentos da doença que o levou à morte sem nunca se lamentar. Grande era no pequeno Francisco, o desejo de reparar as ofensas dos pecadores, esforçando-se por ser bom e oferecendo sacrifícios e oração.
Na sua solicitude materna, a Santíssima Virgem veio a Fátima pedir aos homens para não ofenderem mais a Deus Nosso Senhor, que já está muito ofendido. Dizia aos pastorinhos: Rezai, rezai muito e fazei sacrifícios pelos pecadores, que vão muitas almas para o inferno por não haver quem se sacrifique e peça por elas.
A pequena Jacinta sentiu e viveu como própria esta aflição de Nossa Senhora, oferecendo-se heroicamente como vítima pelos pecadores. Um dia – já ela e Francisco tinham contraído a doença que os obrigava a estarem de cama – a Virgem Maria veio visitá-los a casa, como conta a pequenita: Nossa Senhora veio-nos ver e diz que vem buscar o Francisco muito em breve para o Céu. E a mim perguntou se eu queria ainda converter mais pecadores. Disse-lhe que sim.
E, ao aproximar-se o momento da partida do Francisco, Jacinta recomenda-lhe: Dá muitas saudades minhas a Nosso Senhor e a Nossa Senhora e diz-Lhes que sofro tudo quanto Eles quiserem para converter os pecadores. Jacinta ficara tão impressionada com a visão do inferno, durante a aparição de treze de Julho, que nenhuma mortificação e penitência era demais para salvar os pecadores.

S. João Paulo II: cf. Homilia da Beatificação de Francisco e Jacinta Marto, em Fátima, a 13 de Maio de 2000

No mês passado de janeiro

Primeira Comunhão (com Crisma)

Com grande satisfação, a paróquia recebeu Sua Exa. Revma. o Senhor D. Joaquim Augusto da Silva Mendes, Bispo Auxiliar de Lisboa, a fim de administrar os Sacramentos da Confirmação e da Eucaristia a 29 crianças do 3º Ano de Catequese: 11 pertencentes ao Agrupamento de Escuteiros de Telheiras e 18 e outros grupos de Catequese paroquial.
A Missa de Festa, que teve lugar no Domingo, 24 de Janeiro, às 16.00h, decorreu com o agrado de todos, terminando por volta das 17.30h.
A Igreja de Nossa Senhora da Porta do Céu mostrou-se, uma vez mais, pequena para albergar tanta gente – familiares, amigos, padrinhos e madrinhas. Com o auxílio dos escuteiros do nosso Agrupamento que procuraram dispor as pessoas de acordo com distribuição combinada e a colaboração do Coro da Missa das 12h de Domingo, a celebração realizou-se, sempre com ordem, graças à boa disposição de todos.

Agrupamento de Escuteiros nº 683

Dias 13 e 17: Reunião de Secção
Dia 20: Actividade do Agrupamento – Dia de B.P.
Dia 22: Comemoração do dia do Fundador (Baden Powel), em que todos somos convidados a trazer o nosso lenço para os locais de trabalho e escolas.

Ausências de sacerdotes no mês de fevereiro

P. Rui Rosas da Silva: de dia 18 (5ª) a 21 (Dom)
P. João Campos: de dia 4 (5ª) a 10 (4ª)
P. Carlos Santamaria: de dia 11 (5ª) a 14 (Dom.)
P. Joaquim Malvar Fonseca: 12 (Sáb.) a 4/03 (6ª)
P. Nuno Romão: de dia 11 (5ª) a 14 (Dom.)

Dar a quem precisa

Neste mês, a distribuição de comida e roupas será nos dias: 12 e 26 (6ªas Feiras), às 10.30h. Pedimos a todos os que queiram contribuir com géneros alimentícios, roupas ou dinheiro para entregarem as suas ofertas até à 4ª Feira anterior dos dias de distribuição. E desde já: muito obrigado.

4 de janeiro de 2016

Do Pároco

Começou mais um ano! Abrimos a porta à misericórdia?

Lembremo-nos de que – na nossa perspectiva de cristãos – o tempo é uma oportunidade que Deus nos dá para nos santificarmos, isto é, para que nos tornemos mais parecidos com Ele, sobretudo na prática da caridade, que é a Sua essencial característica. Diz-nos S. João: “Deus é amor”. E o Papa Francisco incita-nos a viver intensamente a misericórdia ao longo deste ano de 2016.

Para tanto, façamos um exame de consciência humilde e objectivo ao nosso coração, abrindo a porta a mudar tudo o que prejudica a nossa relação com Deus. E perguntemo-nos: amamo-Lo sobre todas as coisas? Procuramos conhecer a Sua vontade e seguimo-la no que fazemos? Andamos à volta de nós mesmos ou do que Deus nos pede? Procuramos ser Seus amigos, através da oração frequente? O que eu penso e faço no dia-a-dia reflecte a minha amizade com Cristo? Ou oculto-Lhe os meus defeitos e os meus pecados, com medo de ter de mudar?

Depois, lembremo-nos de como tratamos os outros, sem esquecer o que disse o Senhor “amai-vos uns aos outros como Eu vos amei”. E não se pode caminhar nessa direcção, sem voltar a questionar: há ressentimentos que não foram bem limpos? Há supostas ofensas que ainda não perdoei incondicionalmente? O meu orgulho faz acepção de pessoas, tratando bem as que me são simpáticas e desprezando as de quem não gosto? Irrito-me com facilidade, não tentando ser mais afável? Penso nas necessidades dos outros, ou fecho-me no egoísmo, com as portas bem aferrolhadas, para que ninguém me aborreça?

Enfim, tantas coisas a pensar na presença de Deus! Tantas possibilidades de melhorar a minha conduta, se apostar em ser misericordioso como o é o nosso Pai do Céu. Inspiremo-nos em Nossa Senhora, que é verdadeiramente um modelo de amor e de entrega aos demais. A Virgem viveu a sua vida como serviço alegre, pronto e generoso a Deus e aos outros, esquecendo-se das suas necessidades, dos seus gostos, dos seus desejos.

Digamos e meditemos muitas vezes na resposta de Nossa Senhora ao arcanjo S. Gabriel: “Eis aqui a escrava do Senhor; faça-se em mim segundo a vossa palavra”. É este o caminho certo da misericórdia! Se nem sempre é o caminho mais fácil, aceitemos a ajuda de Nosso Senhor que terá grande alegria em deitar-nos a mão quando nos faltar a paciência ou mesmo as forças.

Papa Francisco abre a Porta Santa na Basílica de S. Pedro,
no Vaticano, no início do Ano Jubilar da Misericórdia (8-12-2015)

Recoleções mensais de Janeiro (na igreja)

Homens: 3ª Feira, dia 12, 19.10h;

Senhoras: 5ª Feira, dia 14, 19.10h.

Catequese das crianças em Janeiro

Recomeço das aulas: dia 5 (3ª).

Reunião de pais do 3º Ano
No dia 7, 5ª Feira, 19.15h haverá uma reunião com os pais dos alunos do 3º Ano que receberão a 1ª Comunhão, com o Crisma, no dia 24/01, Domingo, às 16.00h. Preside à administração destes Sacramentos, D. Joaquim Mendes, Bispo Auxiliar de Lisboa.

Cursos para adultos em Janeiro

Catecúmenos (Orientação: P. Rui Rosas) 
Os alunos serão avisados previamente das datas das aulas, como tem sido habitual. Na Missa das 19.00h de Domingo, dia 10, estarão no Rito da Entrega do Evangelho.

Preparação para o Crisma (Orientação: P. Rui Rosas da Silva) 
Aulas às 3ªs Feiras, 19.15h.  
Temas: dia 05 – Jesus Cristo, Deus Encarnado, Redentor do homens, Iª parte; dia 19 – idem, IIª parte; dia 26 – A Palavra Revelada Escrita: A Bíblia.

Teologia para Todos (Orientação: P. João Campos) 
Aulas às 5ªs Feiras, 19.15h ou 21.30h. Próximo tema: dia 21 – O Amor funda a Família.

Do Tesouro da Igreja

Santa Maria , Mãe de Deus

Imagem de Nossa Senhora da Porta do Céu
O Verbo de Deus veio para socorrer a descendência de Abraão, como afirma o Apóstolo, e, por isso, devia tornar-Se semelhante em tudo aos seus irmãos e assumir um corpo semelhante ao nosso. 

É para isso que Maria está verdadeiramente presente neste mistério; foi d’Ela que o Verbo assumiu como próprio aquele corpo que havia de oferecer por nós. 

A Sagrada Escritura recorda este nascimento e diz: Envolveu-O em panos; além disso, proclama ditosos os peitos que amamentaram o Senhor e fala também do sacrifício oferecido pelo nascimento deste Primogénito. 

O anjo Gabriel tinha anunciado esta concepção com toda a precisão e prudência; não lhe disse: “O que há-de nascer em ti”, como se tratasse de algo extrínseco, mas de ti, para indicar que o fruto deste nascimento procedia realmente de Maria.

O Verbo, ao tomar a nossa condição humana e ao oferecê-la em sacrifício, assumiu-a na sua totalidade, para nos revestir depois a nós da sua condição divina, segundo as palavras do Apóstolo: É preciso que este corpo corruptível se revista de incorruptibilidade e que este corpo mortal se revista de imortalidade.

(...) Portanto era verdadeiramente humana a natureza do que nasceu de Maria, segundo as divinas escrituras; era verdadeiramente humano o corpo do Senhor. Verdadeiramente humano, quero dizer, um corpo igual ao nosso. Maria é, de facto, nossa irmã, porque todos descendemos de Adão”.

Cf. St. Atanásio, Cartas (Epictetum, 5-9 PG 26, 1058. 1062. 1966)

Ausências de Sacerdotes no mês de Janeiro

P. João Campos: de dia 3 (Dom.) a 7, (5ª)

P. Nuno Romão: de dia 2 (Sáb.) a dia 9 (Sáb.)

Agrupamento de Escuteiros nº 683

Dia 16: Comemoração do 38º Aniversário da Filiação do Agrupamento

Dia 23: Participação dos Caminheiros na actividade de Núcleo: S. Paulo ao Rubro.

Baptismo

Sábado, dia 30, 11h: Pilar Fonseca de Mello e Sampayo

No mês passado - O Cabaz do Natal

Mais uma vez, a boa vontade de muitos paroquianos e a colaboração eficiente dos Colégio Planalto e Alemão, tornou possível dar um pouco de conforto às famílias carecidas da nossa paróquia, distribuindo géneros alimentícios e também roupas e brinquedos.

Agradecemos a colaboração de todos, lembrando que a generosidade é, sem dúvida, uma manifestação da misericórdia, que tanto se coaduna com as mensagens deste ano jubilar que o papa Francisco tem proferido repetidamente.

Muito obrigado a todos os que colaboraram e que Deus lhes pague!

Tweets do Papa Francisco

Papa Francisco e Bento XVI após atravessarem
a Porta Santa (8-12-2015)
Somos todos pecadores, mas vivemos a alegria do perdão de Deus e caminhamos confiantes na sua misericórdia.

* * *

A misericórdia é o caminho que une Deus e o homem, porque abre o coração à esperança de sermos amados para sempre.

* * *

O poder espiritual dos Sacramentos é imenso. Com a graça, podemos superar todos os obstáculos.

* * *

Um objectivo de todos os dias: transmitir um pouco da ternura de Cristo a quem mais precisa.

* * *

Este é o tempo para novos mensageiros cristãos: mais generosos, mais alegres, mais santos.