3 de dezembro de 2015

Missas na quadra natalícia

Dia 24 (5ª) - 12.15h; 18.30h (Vigília de Natal); 23h (Missa da noite ou “Missa do Galo”)

Dia 25 (6º) Natal - 10h, 12h e 19h

Dia 1 (6ª) Santa Maria, Mãe de Deus (dia santo): 10h, 12h e 19h

Dar a quem necessita – O Cabaz do Natal

A preparação conta com a habitual generosidade dos nossos paroquianos e amigos, além da colaboração do Colégio Planalto. Além das famílias da paróquia, haverá 5 cabazes para famílias de Refugiados.

Formas de contribuir:

a) dinheiro (entregar em envelope com a indicação de “para o Cabaz de Natal” na saca dos peditórios das Missas ou na secretaria)

b) géneros alimentícios duráveis (não esquecendo os próprios desta quadra), roupas ou brinquedos (que podem ser deixados junto à porta de entrada do Coro Alto). Para facilitar a organização sugerimos uns momentos para a entrega (embora se possam trazer também noutros, dentro do horário de abertura da igreja):

dia 05 (Sáb) das 17.00h às 19.30h; 
dia 06 (Dom) das 9.30h às 13h; das 17h às 20h;
dia 08 (3ª) das 9.30h às13h; das 17.00h às 20h 
dia 12 (Sáb) das 17.00h às 19.30h;
dia 13 (Dom) das 9.30h às 13h; das 17h às 20h.


Dias de distribuição:

- roupas e brinquedos: dia 21 (2ª) entre as 10h e as 11.45h; 
- géneros alimentícios: dia 22 (3ª) às 10h.

Agrupamento de Escuteiros nº 683

5 - Os pioneiros irão realizar um atelier de reparação de bicicletas.

11, 12 e 13 - Participação dos Exploradores na actvidade Trilhos de Natal, que decorrerá em Santiago de Cacém

18 - Cerimónia da Partilha da Luz da Paz de Belém, na Igreja Paroquial de Nossa Senhora do Carmo do Alto do Lumiar.

19 e 20 - Acantonamento dos Lobitos no Cacém.

19 e 20 - Acampamento dos Pioneiros na Costa de Caparica.

Baptismo

Sábado, dia 19: 11.30h – Maria Benedita Rechena

Migrantes – Curso na Associação Portuguesa de Cultura e Desenvolvimento

Como já noticiámos, a APCD, que a nossa paróquia apoia nesta iniciativa, está a preparar para migrantes, contando já com a colaboração de alguns voluntários, um curso que contém: Língua e Cultura Portuguesa e Formação Profissional Básica (aquisição de competências que lhes permita o ingresso no mundo do trabalho). A APCD tem a sua sede na Av. Ventura Terra, 23, 1600-780 Lisboa, Tel.: 218298270, E-mail: apcdcfplisboa@gmail.com.

Do Pároco

A misericórdia tem um rosto: Jesus Cristo. E um atalho: Maria.


Começa no próximo dia 8, Solenidade da Imaculada Conceição, o Ano da Misericórdia, que o Papa Francisco convocou.

É um dia adequado para o seu início. Na Salve Rainha chamamos-lhe Mãe de Misericórdia. O Senhor, rico em misericórdia, escolheu-a, sem mancha de mal e de pecado, para sua Mãe. Quanto não terá aprendido Jesus de Maria: os gestos, a dedicação aos outros, os pormenores de amor com que tratava a todos? Estavam sempre cheios de misericórdia.

Nós temos de imitar Cristo e a nossa Mãe. Em primeiro lugar a Misericórdia de Jesus que, para nos facilitar a salvação, pede à Santíssima Virgem que passe a ser Mãe de todos os seus discípulos na pessoa de João Evangelista. E depois a obediência de Maria, que aceita esse convite. Tem consciência de que a sua intercessão – oração, sacrifício e desvelo maternal – encaminhará os seus novos filhos para o Céu.

Quantas vezes, como fazem todas as mães, perante o comportamento pouco digno dos seus filhos, sabe encontrar motivos para, apesar disso, dizer bem deles a Cristo. É a misericórdia de Maria: é muito Mãe de todos nós, que somos pecadores.

Nossa Senhora sabia que passar a ser mãe dos homens ia ser diferente de ser Mãe de Jesus. É que Este não era pecador, era perfeitamente virtuoso; mas os seus novos filhos sim são pecadores, pois até o homem justo “peca sete vezes por dia”, diz o livro dos Provérbios

Imitar Cristo e Maria é viver as relações com os outros sempre na linha da misericórdia. Sem ferir a justiça, a misericórdia dá-lhe um suplemento que leva a perdoar, compreender, evitar ferir. 

Jesus Cristo é quem nos convida e marca o objectivo: “Aprendei de Mim que sou manso e humilde de coração”.

Façamos exame de consciência. E, com muita vontade de levar a cabo o que o Papa Francisco nos pede a partir do próximo dia 8 de Dezembro, ajudados pela graça divina e pela protecção da Mãe de Misericórdia, pensemos no que é preciso cortar, purificar e rever na nossa vida. Uma boa jaculatória (oração breve) para este exame será: “Meu Deus, afasta de mim tudo o que me afasta de Ti”! E outra, dada a nossa imperfeição: “Obrigado, Senhor. Perdoa-me. Ajuda-me mais”!

Tweets do Papa Francisco

Muitas vezes o Natal é uma festa barulhenta: far-nos-á bem estar um pouco em silêncio, para ouvirmos a voz do Amor


Leiamos um pouco do Evangelho cada dia. Assim aprenderemos a viver o essencial: o amor e a misericórdia.


Jesus nunca está longe de nós, pecadores. Ele quer derramar sobre nós, sem medida, toda a sua misericórdia


Diante do Presépio, rezemos de modo especial por aqueles que sofrem perseguição por causa da fé

Recolecções e Confissões

Recolecções (na igreja)

Homens: 3ª Feira, Dia 1 – 19.15h;
Senhoras: 5ª Feira, Dia 10 – 19.15h.

Encontro de Reflexão sobre o Natal

Dia 16 (4ª): início às 13.15h e termina às 14.30
Haverá confissões durante o encontro.

Temas:
Jesus foi em tudo Homem... e em tudo Deus.
A libertação pelo caminho grato da Reconciliação

Confissões do Natal

Horários extraordinários além dos habituais (cf. última página)

Dia 19 (Sáb.) 17.00h-20.00h
Dia 20 (Dom.) 17.00h-20.00h
Dia 24 (5ª) 11.00h-12.00h; 16.00h-20.00h

Catequese de crianças

Seguindo o ritmo da nossa catequese paroquial o ano lectivo oficial, recorda-se que as aulas serão interrompidas durante os dias das Férias Escolares do Natal.

Reunião de Pais com dos alunos do 3º Ano: dia 3 (5ª), às 19.15h.

Cursos para adultos

Catecúmenos - Encontro com os catecúmenos: dia 10, 5ª Feira, 19.15h

Preparação para o Crisma (Orientação: P. Rui Rosas da Silva) 3ª Feira, 19.15h. Dias 01 e 15.

Teologia para Todos (Orientação: P. João Paulo de Campos) 5ª Feira, 19.15h ou 21.30h. Dia 17, Tema: A Ordem dos Amores.

Do Tesouro da Igreja

A Alegria do Natal


Hoje, caríssimos irmãos, nasceu o nosso Salvador. Alegremo-nos. Não pode haver tristeza no dia em que nasce a vida; uma vida que destrói o temor da morte e nos infunde a alegria da eternidade prometida.

Ninguém é excluído desta felicidade, porque é comum a todos os homens a causa desta alegria: Nosso Senhor, vencedor do pecado e da morte, não tendo encontrado ninguém isento de culpa, veio para nos libertar a todos. Alegre-se o santo, porque se aproxima a vitória; alegre-se o pecador, porque lhe é oferecido o perdão; anime-se o gentio, porque é chamado à vida.
Por isso, quando nasce o Senhor, os Anjos cantam jubilosos: Glória a Deus nas alturas; e anunciam: Paz na terra aos homens por Ele amados. (…) Perante esta obra inefável da misericórdia divina, como não há-de alegrar-se o mundo humilde dos homens, se ela provoca tão grande júbilo nos coros sublimes dos Anjos?

Caríssimos irmãos, demos graças a Deus Pai, por meio do seu Filho, no Espírito Santo, porque na sua infinita misericórdia nos amou e teve piedade de nós: estando nós mortos pelo pecado, fez-nos viver com Cristo, para que fôssemos n’Ele uma nova criatura, uma nova obra das suas mãos.
……………………….
S. Leão Magno, papa (cf. Sermo I, in Nativitate Domini, 1-3: PL 54, 190-193) Séc . V

Ausências de sacerdotes

P. Nuno Romão: de 3 (5ª) a 9 (4ª);

P. Carlos Santamaria: de 26 (Sáb.) a 31 (5ª) F