8 de outubro de 2015

Do pároco

Duas intenções para o nosso terço: Sínodo e refugiados


Refugiados na Europa (2015)
Este mês de Outubro, apresenta um cariz mariano muito forte, pois é designado habitualmente como o “Mês do Rosário”. 

Esta oração em honra de Nossa Senhora faz-nos participar, sempre na sua companhia maternal, nos pontos fundamentais da vida de Jesus, seu Filho, na terra, e também seus, Mãe do salvador.

A forma de o rezar é simples e acessível a todos os filhos de Maria. Ela, que é Mãe de todos nós, torna fácil o nosso diálogo no Rosário com Deus, através da sua intercessão, que abrange desde o seu filho mais culto e inteligente ao mais simples, porventura analfabeto e escondido numa aldeia desconhecida

E não nos faltam intenções. Com o Papa Francisco, vamos pedir pelas famílias e também pelo Sínodo dos Bispos sobre esta matéria, que em Roma se inicia neste mês. 

Mas também temos de nos debruçar sobre o drama tão flagrante dos migrantes, que entraram na Europa, na Velha Europa, e necessitam que esta não se manifeste uma Europa velha e cansada, mas como aquele continente onde os valores que Cristo propagou entre os homens continuam vivos e pertinentes, a fim de que os que fugiram da guerra e da exploração, da miséria e da falta do pão de cada dia, encontrem na caridade e na solidariedade humana dos europeus, uma verdadeira prova de fraternidade, de compreensão e conforto. 

E nós, católicos, devemos ser os primeiros, entre todos, a dar o exemplo, lembrando que Cristo nos mandou amar uns aos outros como Ele nos amou. E o seu Amor incondicional por nós custou-Lhe a vida.

Junto de Maria Santíssima, no terço que rezamos, uma boa parte das intenções deve ser para que os governos europeus e cada um de nós dê o que puder de si mesmo para acudir a estes irmãos que tanto carecem do nosso amor.

Sem comentários:

Enviar um comentário