8 de junho de 2015

SACRAMENTOS DA INICIAÇÃO CRISTÃ E CASAMENTO

Sacramentos da Iniciação Cristã: dia 10, 4ª, 12.00h: Pedro M. R. Lobato Resina os Sanos; Gonçalo Louro da Silva e Simão Manuel Sobral Medeiro; Primeira Comunhão: Leonor Duarte Vieira Martins; Beatriz Marques Ferreira, José Carlos Dias Sampaio, Rafael Neto e Maria Louro da Silva



Baptismo: dia 13, Sáb., 11.30h: Guilherme Monteiro Saraiva Fernandes;
Casamento: dia 21, Dom., 11.00h: Pedro Miguel Ribeiro e Silva Baptista e Carla Alexandra da Cruz Marchão

Agrupamento de Escuteiros nº 683

Dia 13 (Sáb.): Encerramento das actividades habituais do ano 2014-2015.

Dia 14 (Dom.): Piquenique Familiar (Quinta das Conchas - Lisboa).

Procissão das Velas em honra de Nossa Senhora da Porta do Céu: dia 4 (5ª), às 21.30h

Terá início às 21.30h com o seguinte percurso: Saída do Adro da Igreja, Estrada de Telheiras, R. Filipe Duarte, Av. Ventura Terra, Trav. das Galhardas, Largo do Poço, Estrada de Telheiras, R. Hermano Neves. R. Prof. Francisco Gentil, R. Prof. João Barreira, R. Prof. Henrique Viana, R. Prof. Mário Chicó, R. Prof. Francisco Gentil (de novo), Rampa do Metropolitano, Jardim Prof. Francisco Caldeira Cabral, Estrada de Telheiras, Igreja de Nossa Senhora da Porta do Céu.

Horário de Missas

Horário de Missas na igreja paroquial (até 30 de Junho)
Domingos e Dias Santos – 10h, 12h e 19h;        2ª a 6ª – 12.15h e 18.30h;      Sábados – 18.30h

Horários de Verão:
1. Entre 1 de Julho (4ª) e 5 de Setembro (Sáb.), de 2ª a 6ª, não haverá a habitual Missa das 12.15h, só se celebrando a Missa das 18.30h. Só a partir do dia 1 de Setembro (3ª), voltará a celebrar-se a Missa das 12.15h.
2. Durante o mês de Agosto, haverá apenas duas Missas nos Domingos e no dia 15: uma às 11.00h e outra às 19.00h

Do Pároco

O perigoso “eu” ameaça as férias

O mês de Junho encontra-nos a todos com o cansaço próprio do final de um ano laboral e o desejo crescente de um período de férias repousante, onde renovarmos as forças que agora nos faltam para depois poder enfrentar um novo ano.

Para um cristão, a retoma de forças que pretende não pode nem deve dizer respeito apenas ao aspecto corpóreo e a um desanuviamento das ideias um tanto depressivas que todos sentimos em momentos de maior fadiga.

Não faz sentido descansar sem Deus, como se Cristo nos tivesse vindo redimir para que pudéssemos ir de férias sem Ele, ou como se fosse um estorvo para o nosso restabelecimento.

Só motivos de ignorância doutrinal ou de orgulho nos poderiam levar a enxotar Jesus dos nossos tempos de lazer. E se com Ele convivermos, podemos ter a certeza de que sairemos das nossas férias com mais alegria e tranquilidade, porque Deus está na origem de tudo o que é bom, belo e alegre no ser humano e do que concorre para a sua felicidade.

Tentar fazer das nossas férias uma espécie de "ghetto", onde o meu eu seja o ponto de referência principal, com exclusão de Deus, é uma ilusão de descanso e até de conforto, porque significa uma concessão ao meu egoísmo. 

Se eu quero substituir Deus – ou, pelo menos, quero que Ele não me incomode nem se intrometa no que faço, no que penso e no que planeio –, acabo por me encontrar dando voltas sobre mim, sem um sentido de boa convivência com os outros que me cercam. Mais, posso pô-los de parte, por julgar que são um empecilho ao meu descanso, pois não conseguigo fazer aquilo que a minha imaginação “criou” para que, de facto, com nada me aborreça nem os outros me incomodem.

Se isto se dá no seio duma casa, o pai deixa de querer estar com os filhos o tempo que eles merecem, a mãe com pai e os filhos sofrem interiormente pela falta de entrega à vida familiar dos seus progenitores.

Sem irmos com Deus para as nossas férias, perderemos a oportunidade de O encontrar como Ele é: o meu melhor Amigo e o mais responsável pelo meu bem. E é Quem sabe como orientar as actividades e ocupações num convívio com os mais próximos cheio de compreensão e de entrega.

Aproveitemos as férias para conviver familiarmente com o Senhor, dedicando de certo à oração e à intimidade com Ele mais tempo e mais ocupação. Deus não desilude quem O procura. E peçamos à sua e nossa Mãe, a Virgem Santíssima, esta graça.

P. Rui Rosas da Silva

Tweets do Papa Francisco

Faz-nos bem passar um pouco de tempo diante do Sacrário, para sentirmos sobre nós o olhar de Jesus.

* * *

O Domingo é o dia do Senhor: encontremos o tempo para estar com Ele.

* * *

Se queremos seguir Cristo de perto, não podemos procurar uma vida cómoda e tranquila. Será uma vida esforçada, mas cheia de alegria

* * *

Peçamos ao Senhor a graça de não falar mal dos outros, não criticar, nem fofocar, mas querer bem a todos.

Recoleções (na igreja)

Homens: dia 9 (3ª) – 19.10h;

Senhoras: dia 11 (5ª) – 19.10h.

Catequese: final do ano catequético e inscrições

As aulas da catequese paroquial terminaram na última semana de Maio. No dia 1 de Julho, 4ª Feira abrem-se as inscrições para o próximo ano, 2015-2016, em que as aulas se iniciarão em Outubro, no dia 5 (2ª).

No mês passado

PROFISSÃO DE FÉ
No Domingo, dia 17 os alunos do 6º Ano da catequese, tiveram a sua Festa da Profissão de Fé.
Na Missa reafirmaram solenemente diante de todos as verdades fundamentais que a Igreja nos ensina. Após a entrega dos diplomas, fizeram a consagração a Nossa Senhora, comprometendo-se a recorrer à sua ajuda e a seguir pelos caminhos que ela lhes indicar. Após a Missa, alunos, catequistas e suas famílias reuniram-se num breve convívio no Salão da Igreja.


CRISMA
Culminou na Missa do dia 30 a cuidadosa preparação em diferentes grupos dos 50 candidatos (adultos e jovens). Presidiu e administrou o Sacramento Sua Excelência Reverendíssima, D. Joaquim Mendes, Bispo Auxiliar de Lisboa.

Do Tesouro da Igreja

O Sagrado Coração de Jesus

“Olha este Coração que tanto amou os homens e que nada se poupou até esgotar-se e consumir-se para lhes manifestar o seu amor; e em reconhecimento, Eu não recebo da maioria dos homens senão ingratidões e sacrilégios e pela frieza e desprezo com que Me tratam neste sacramento de amor. Mas o que mais Me dói é ver-me tratado assim por almas que me estão consagradas. Por isso te peço que se dedique a primeira sexta-feira depois da oitava do Santíssimo Sacramento a uma festa particular destinada a honrar o meu Coração, comungando nesse dia e desagravando-Me com algum acto de reparação.” (1)

Nesta Solenidade, adoramos o Coração Sacratíssimo de Jesus “como participação e símbolo natural – e mais expressivo – daquele amor inexaurível que o nosso Divino Redentor sente ainda hoje pelo género humano. Já não está submetido às perturbações desta vida mortal; no entanto, vive e palpita e está unido de modo indissolúvel à Pessoa do Verbo divino, e nela e por ela, à sua divina vontade. E porque o Coração de Cristo transborda de amor divino e humano, e porque está cheio de todas as graças que o nosso Redentor adquiriu pelos méritos da sua vida, padecimentos e morte, é, sem dúvida, a fonte perene daquele amor que o seu Espírito comunica a todos os membros do seu Corpo Místico.” (2)

“Obrigado, meu Jesus, porque quiseste fazer-te perfeito Homem, com um Coração amante e amabilíssimo, que ama até à morte e sofre; que se enche de júbilo e de dor; que se entusiasma com os caminhos dos homens, e nos mostra o que nos leva ao Céu; que se sujeita heroicamente ao dever, e se guia pela misericórdia; que vela pelos pobres e pelos ricos; que cuida dos pecadores e dos justos...
Obrigado, meu Jesus, e dá nos um coração à medida do Teu! (3)
.........................................
(1) Oração de Santa Margarida Maria de Alacoque;
(2) Pio XII, Encíclica Haurietis aquas, 15-05-1956, n. 22;
(3) S. Josemaria Escrivá, Sulco, n. 813.

Ausências de sacerdotes

P. Rui: do dia 28 (Dom.) até 19/07 (Dom.) – Férias