4 de maio de 2015

Agrupamento de Escuteiros nº 683

De 1 a 3 - Realização do AcaPromessas na Quinta do Escuteiro, na Batalha, onde iremos celebrar a nossa Festa das Promessas.

De 4 a 10 - Participação do Agrupamento no Festival de Telheiras. As ruas vão encher-se de vida e de animação num evento que aproxima de forma única as instituições do bairro e a população.

Dia 9 - Os guias e sub-guias dos pioneiros participarão na actividade de Núcleo ABC guias, que decorrerá em Monsanto.

Dias 16 e 17 - Os lobitos vão participar na actividade de Núcleo Festa do Sol, em St. Amaro de Oeiras.

Dia 24 - Os exploradores estarão presentes na actividade de Núcleo Idade Verde, em Lisboa.

Dia 31 - Venda de manjericos e colaboração na campanha de recolha de alimentos do Banco Alimentar contra a Fome.

3 de maio de 2015

Dar a quem precisa

No final do mês distribuíram-se os FOLARES DA PÁSCOA, bem recheados de alimentos, às famílias que se inscreveram. Em primeiro lugar, é de toda a justiça salientar a generosidade dos paroquianos e também dos pais e alunos do Colégio Planalto que contribuíram com as suas dádivas. Também se ofereceu uma enorme quantidade de roupas e de brinquedos. Obrigado a todos.

Continuar-se-á a distribuir alimentos e roupas às famílias carentes de auxílio, que são cada vez mais, a julgar pelos pedidos que têm aparecido nos últimos tempos.
Estamos, desta maneira, a alegrar os lares desfavorecidos e, sem dúvida, a dar corpo a tantas insinuações e convites que o Papa Francisco nos tem feito.

Abertura da igreja no Mês de Maria: ao almoço e ao fim da tarde

Durante este mês de Maio muitos procuram honrar a Mãe de Deus em visitas mais frequentes, a sós ou acompanhados.

O Papa Francisco pede uma oração mais intensa pela Igreja e pelas famílias, para que se melhore o modo de as apoiar. 

A fim de facilitar as vindas, a igreja estará aberta num horário mais amplo: durante a semana, das 11h às 20h, e aos Domingos, das 9.30h às 20h.

Mantêm-se os restantes horários de Missas e de Confissões.

Ausências de sacerdotes

P. Carlos: até dia 3 (Dom.) – pregação de retiro


P. Nuno de dia 14 (5ª) a dia 17 (Dom.) – pregação de retiro

Do Pároco

Mais do que Ela só mesmo... Deus


Jesus, que Se deu totalmente para a nossa salvação, recordando certamente todos os benefícios que recebeu de Maria Santíssima, num gesto de desprendimento e de misericórdia por nós, quis que ela participasse dum modo mais íntimo e mais característico na obra da sua redenção, tornando-a não só co-redentora por excelência, mas também nossa Mãe. Assim, Nossa Senhora age com cada um de nós como o fez com Jesus Cristo. A sua maternidade como que a obriga a ter um desvelo mais forte e mais constante para com os seus filhos. 

Ao aceitar esse vínculo que Jesus lhe pede em relação a todos nós, Maria tem consciência de que deve agir com a mesma dose de amor que teve com o Senhor, embora enfrentando novos e diferentes espinhos e desafios, porquanto os seus novos filhos são pecadores e fracos na virtude.

Maria não resiste nem desiste de cumprir as suas novas obrigações, porque se trata, em primeiro lugar, de um pedido de Cristo e, depois, por ter consciência de que a sua acção será mais um meio pelo qual a misericórdia divina se vai servir para a salvação de todos nós, que é o desejo de Deus inerente à criação de todo o ser humano.

Quantas almas atulhadas no pecado não são salvas pela paciente e laboriosa relação afectiva que a Virgem Santíssima, com zelo e perícia de Mãe, exerce sobre elas! 

Por tudo isto, é natural e justo que a Igreja nos incite a ser muito devotos de Maria Santíssima, a fim de que a nossa condição de filhos de Deus melhore e se torne mais generosa.

Certamente que o culto que prestamos à Mãe de Jesus não é o mesmo que prestamos a Deus. Nós não adoramos Nossa Senhora, porque a sua natureza não é divina. O culto de adoração só prestamos ao nosso Deus, Uno e Trino, ou seja, às Três Pessoas da Santíssima Trindade. 

No entanto, temos por Maria uma devoção muito particular e muito veemente, que nos leva a uma veneração intensa, sabendo que ela é Medianeira de todas as graças que Deus nos concede e nos ama, não de uma forma abstracta ou etérea, mas como verdadeira Mãe que é. 

Quantas vezes, como fazem naturalmente todas as mães, apesar de os filhos nem sempre lhe corresponderem com a mesma qualidade de amor, falam bem dos que são mais rebeldes e apontam as suas qualidades – que só o seu amor maternal descobre - como se tratasse das melhores criaturas do mundo. E é assim que a Mãe do Senhor procede no Céu, pedindo muitas vezes às Três Pessoas divinas que tenham em conta o seu intenso amor maternal por algum dos seus filhos mais desorientado, que poderia merecer com toda a justiça uma sanção divina irremediável.

Aprendamos com Nossa Senhora a amar a Deus sobre todas as coisas, vivendo uma intensa relação com a nossa Mãe do Céu neste mês de Maio, o mês de Maria. E lembremo-nos de que o Terço é a sua oração preferida, já que, como nossa Mãe, vê nessa oração um modo acessível a todos os homens, cultos e menos cultos, de louvar a Deus, conversando familiarmente com ela.

Tweets do Papa Francisco

A misericórdia é a verdadeira força que pode salvar o homem e o mundo do pecado e do mal.

* * *

Que a Igreja seja sempre lugar de misericórdia e esperança, onde cada um se possa sentir acolhido, amado e perdoado.

* * *

Desejo a cada família que possa redescobrir a oração doméstica: também isso ajuda a entender-se e a perdoar.

* * *

Seguir a Jesus significa compartilhar o seu amor misericordioso por todos os seres humanos

Obras de manutenção e restauro e o contributo especial

As obras estão a ponto de terminar. A impermeabilização das pedras e do reboco e a nova pintura devem resolver as humidades que se notavam. A cruz, solta e inclinada, já foi arranjada, bem como reparada e pintada a madeira exterior dos caixilhos dos janelões.

Como já se tinha referido no Boletim do mês passado, o saldo das contas da Paróquia de 2014 (que estiveram afixadas e agora se podem consultar na secretaria) não dava para cobrir esta despesa.
Em resposta ao pedido de um contributo especial chegaram já vários donativos.
Como está ainda longe do valor total, seria preciso que quem, podendo, não contribuíu não o adie e, talvez, que cada um procure dar a conhecer esta possibilidade de ajudar a pessoas com sensibilidade que não passem muito pela igreja. 
Deus recompensará a todos com a sua habitual magnanimidade.

Recolecções na igreja

Homens: dia 12 (3ª) – 19.10h;

Senhoras: dia 14 (5ª) – 19.10h.

Catequese

CATEQUESE DE CRIANÇAS

Os Alunos do 6º Ano, na Missa das 10h do Domingo, dia 17, terão a celebração da Festa da PROFISSÃO DE FÉ. Depois da Missa, com o que os pais e os próprios alunos trouxerem de casa (salgados, doces, bebidas, etc.), far-se-á uma pequena confraternização no Salão da Igreja. Pede-se que tudo seja entregue no Salão até às 9.45h.
Os pais dos alunos do 6º Ano terão uma REUNIÃO DE PAIS no dia 12 (3ª), às 21.30h, no Salão da igreja.

Todos os Anos da catequese acabarão as suas aulas na última semana de Maio.

CURSOS PARA ADULTOS

Preparação para o Crisma
(Orientação: P. Rui Rosas da Silva): 5ªs F., 19.15h: dias 07 e 21; Celebração penitencial preparatória no dia 28 (5ª) às 19.15h na igreja.
A Missa com a Celebração do Sacramento do Crisma será presidida por Sua Exa. Revma. D. Joaquim Mendes, Bispo Auxiliar de Lisboa, do dia 30 (Sáb.), às 10h.

Teologia para Todos
(Orientação: P. João Paulo de Campos): 5ªs F., 19.15h ou 21.30h. Próxima e última sessão: dia 21. Tema: Sacramento do Matrimonio.

No mês passado

No Domingo, dia 19, realizou-se a FESTA DO PAI NOSSO aos alunos do 1º Ano da Catequese.
Tinham aprofundado nas aulas como o Criador do universo é nosso Pai, o que nos torna todos irmãos.
A recitação solene do "Pai Nosso" na Missa paroquial, junto com os familiares e outros participantes foi o modo de o festejar, agradecendo o que nos deu: o seu amor que nos enche de paz.

Após a entrega dos diplomas, houve um agradável convívio com as famílias no Salão da Igreja, como é habitual. As “iguarias” que sobraram foram entregues à Comunidade das Irmãs do Bom Pastor, nossas paroquianas.

Do tesouro da Igreja

A vinda do Espírito Santo


O Espírito de Deus desceu sobre o Senhor como Espírito de sabedoria e de inteligência, Espírito de conselho e de fortaleza, Espírito de ciência e de piedade, Espírito de temor de Deus. E este mesmo Espírito que o Senhor, por sua vez, deu à Igreja, enviando de lá do Céu o Paráclito sobre toda a terra, do Céu, de onde também Satanás fora precipitado como um relâmpago, segundo a palavra do Senhor.

O Senhor tinha prometido enviar-nos o Paráclito, que nos havia de preparar para receber a Deus. Assim como a farinha seca, sem a água, não se pode amassar para fazer um só pão, também nós, que somos muitos, não nos podíamos transformar num só Corpo, em Cristo Jesus, sem a água que vem do Céu.

Por isso temos necessidade deste orvalho de Deus, para que demos fruto e não sejamos lançados ao fogo, e para que tenhamos também um Advogado onde temos um acusador.

Efectivamente, o Senhor encomenda ao Espírito Santo o cuidado da sua criatura, daquele homem que caíra nas mãos dos ladrões e a quem Ele, cheio de compaixão, vendou as feridas, entregando dois denários reais, para que nós, recebendo pelo Espírito a imagem e inscrição do Pai e do Filho, façamos frutificar esse denário que nos foi confiado e o restituamos com bens rendimentos ao Senhor.
.............................
Do Tratado de St. Ireneu, Bispo, “Contra as heresias”, Lib. 3, 302-306