5 de novembro de 2014

Coro de Santo Inácio - Domingo, Dia 16, Missa das 19:00h

Receberá a paróquia, na data acima assinalada, o Coro de Santo Inácio, dirigido pelo Rev. P. João Caniço, SJ, actual pároco de S. João Baptista do Lumiar.
Agradecemos muito a gentileza da sua vinda e convidamos todos os paroquianos e pessoas amigas, que apreciem a boa música sacra, a estar presentes.

Agrupamento de Escuteiros nº 683

Dia 1 e 2 - Participação dos guias e sub-guias dos caminheiros na formação regional “Ao Leme”, irá decorrer na Póvoa de Santa Iria. 

Dia 8 - Participação das 4 secções do Agrupamento na actividade Dia de Núcleo que este ano irá decorrer na Belavista.

Dia 10 - Encontro Regional de preparação da cerimonia de partilha da Luz da Paz de Belém.

Dia 14 - Reunião de Pais 

Dia 15 - Durante a tarde iremos participar na Festa de São Martinho, organizada pela Parceria Local de Telheiras. Nesta festa aberta a toda a população, estarão representadas a maioria das instituições do nosso bairro. Estão todos convidados a comparecer para conviver, animar e desfrutar de umas castanhas assadas.
Ao fim do dia, na Missa das 18h30, iremos realizar a investidura dos novos guias de bando, patrulhas, equipas e tribos.

Dia 22 - Actividade de Cargos, onde estarão envolvidas as 4 secções do agrupamento.

Do Pároco

Pode um santo não ir logo para o céu?

Beatificação de D. Álvaro del Portillo (27-X-2014)
    Neste mês de Novembro, Deus Nosso Senhor lembra-nos que a nossa vida não termina aqui nesta terra, prolonga-se na eternidade.
    Por isso, a nossa Mãe Igreja quer que nos lembremos de rezar – interceder – pelas pessoas que já partiram.
    A prioridade da nossa intercessão está nas pessoas que nos são mais próximas, ou seja, parentes próximos, parentes mais afastados, amigos, conhecidos, etc. No entanto, podemos alargar o âmbito das nossa petições a todas as pessoas que precisem da nossa oração – essas pessoas são todas as almas que estão no Purgatório.
    O que são, afinal, "as almas do Purgatório"? E para quê rezar por elas (ou – o que é o mesmo – "oferecer sufrágios")?
    As "almas do Purgatório" são as pessoas, como nós, que em vida foram fiéis a Deus – isto é, foram santas -, e a quem Jesus Cristo, logo que faleceram, lhes indicou que o seu destino último seria o Céu, mas tendo primeiro de purificar-se porque algumas suas faltas ligeiras – pecados leves – cometidos na vida terrena, ainda não estavam todos perdoados. A essa purificação final dos eleitos também se dá o nome de Purgatório.
    Efectivamente, quando se peca, é bom arrepender-nos imediatamente da ofensa feita a Deus e pedir-Lhe perdão. Deus, que desculpa até 70x7, na linguagem misericordiosa de Cristo, nunca se cansa de perdoar. No entanto, cada falta deixa um rasto de apegamento às criaturas, que é uma consequência que precisa correcção, um pouco à maneira do que acontece quando nós, por exemplo, danificamos alguma coisa de alguém. Além de lhe pedir desculpa, temos a obrigação de devolver o que estragámos devidamente em condições.
    Deste modo, o arrependimento dá-nos o perdão de Deus quanto à culpa do pecado cometido; porém, a pena que dele decorre carece de uma purificação: oração, sacrifício, esmola generosa aos pobres, etc.
    Se, com a graça de Deus, pudermos na nossa vida terrena, purificar o nosso coração de toda a pena contraída com o pecado, a porta do Céu abrir-se-nos-á de forma imediata. De contrário, o Senhor oferece-nos essa derradeira purificação, o Purgatório, que elimine o que reste de pena.
    Repito: "as almas do Purgatório" são pessoas santas, porque Cristo já confirmou que o seu lugar é o reino dos Céus. Para que servem, então, as nossas orações, ou para quê oferecer sufrágios? Servem para, por assim dizer apressar a sua entrada na felicidade eterna. Além de que, desde o momento da sua morte, são intercessoras, pois podem solicitar de Deus as graças que Lhe pedimos por seu intermédio.
    Recorremos a Maria Santíssima neste mês e dizemos-lhe que, já que é Mãe de todos os que se encontram no Purgatório, peça a seu Filho que lhes abrevie as penas e as faça entrar no Céu. Ela não deixará de nos atender.

Tweets do Papa Francisco

Ajudemos as pessoas a descobrirem a alegria da mensagem cristã: uma mensagem de amor e de misericórdia.

* * *

Queridos jovens,
Cristo conta convosco para serdes amigos dele e testemunhas do seu amor infinito.

* * *

Queridos jovens,
Jesus dá-nos a vida, e vida em abundância.
Unidos a Ele, teremos a alegria no coração e um sorriso nos lábios

Recolecções (na igreja)

Homens: 3ª Feira, dia 11 - 19.10h. 

Senhoras: 5ª Feira, dia 13 - 19.10h.

Catequese

a)Catequese de crianças

Horários: Raparigas: 5ªs Feiras, 17.45h; Domingos, 11.00h. Rapazes: 3ª Feiras, 17.45h e Sábados, 11.00h.

b) Cursos para adultos

      1. Catecúmenos (Orientação: P. Rui Rosas): 3ªs Feiras, 19.15h. Dia 4, Tema: O Povo de Israel conquista a Terra Prometida. A vinda de Jesus; Dia 11, Tema: A elevação do homem à ordem sobrenatural; Dia 25, Tema: Os meios de salvação que Deus propõe ao homem através de Cristo.

2. Preparação para o Crisma de Adultos (Orientação: P. Rui Rosas): Aulas: 5ªs Feiras, 19.15h com outros grupos a funcionar a outras horas). Neste mês: Dia 6, Tema: Noções Básicas sobre a História da Salvação. Dia 20, Tema: A elevação do homem à ordem sobrenatural.

3. Teologia para Todos (Orientação: P. João Campos): Aulas: 5ªs Feiras, 19.15h ou 21.30h. Dia: 20, Tema: O Baptismo e a Confirmação (Há sempre uma sessão às 19.15h, que se repete no mesmo dia às 21.30h).

Ausências de sacerdotes


P. Rui: de dia 25, 3ª F., a dia 30, Dom. (13h), actividade pastoral

Dar a quem necessita

    Continuamos a distribuir mensalmente, apenas amparados pela generosidade dos nossos paroquianos e amigos, comida e roupas, a várias dezenas de famílias.

    Além destas dádivas, também fornecemos gratuitamente remédios e, sempre que possível, ajudamos no pagamento de rendas, água, luz e gás a quem nos solicita.
Renovamos a nossa solicitação de ajuda.

    No próximo mês, faremos a distribuição do CABAZ DE NATAL, contando já com a generosa e tradicional colaboração do Colégio Planalto. Mas não podemos dispensar a vossa ajuda. Daremos mais informações sobre este evento sócio-caritativo na última semana deste mês.

   Graças a Deus, já pudemos atender uma pessoa, com poucos recursos, cuja casa sofreu um incêndio. 

Do Tesouro da Igreja

Testemunho de S. Paulo Le-Bao-Tinh, mártir vietnamita (*)


“Eu, Paulo, prisioneiro pelo nome de Cristo, quero falar-vos das tribulações que suporto cada dia, para que, inflamados no amor de Deus, comigo louveis o Senhor, porque é eterna a sua misericórdia

Este cárcere é realmente a imagem do inferno eterno: além de suplícios de todo o género, tais como algemas, grilhões, cadeias de ferro, tenho de suportar o ódio, as agressões, calúnias, palavras indecorosas, repreensões, maldades, juramentos falsos, e, além disso, as angústias e a tristeza. Mas Deus, que outrora libertou os três jovens da fornalha ardente, está sempre comigo, e libertou-me destas tribulações, convertendo-as em suave doçura, porque é eterna a sua misericórdia.

Imerso nestes tormentos, que costumam aterrorizar os outros, pela graça de Deus sinto-me alegre e contente, porque não estou só, mas estou com Cristo.

O nosso divino Mestre é Quem leva todo o peso da cruz, impondo-me apenas uma pequena parcela. Ele não é espectador do meu combate, mas também combatente e vencedor em toda esta luta. Por isso é sobre a sua cabeça que se impõe a coroa da sua vitória, e nela participam todos os seus membros.

Como posso eu suportar este espectáculo, ao ver todos os dias os imperadores, mandarins e seus guardas blasfemar o vosso santo nome, Senhor (...)?

Mostrai, Senhor, o vosso poder, salvai-me e amparai-me, para que na minha fraqueza se manifeste a vossa força e seja glorificada no meio dos gentios, não aconteça que eu vacile pelo caminho e os inimigos se orgulhem na sua soberba (...).

Ajudai-me com as vossas orações, a fim de que possa combater segundo as regras, combater o bom combate, combater até ao fim, de modo que termine, felizmente, a minha carreira. Se já não nos virmos nesta vida, encontrar-nos-emos na felicidade da vida futura (...)”.

 (*) Das Cartas de S. Paulo Le-Bao-Tinh aos alunos do Seminário Ke-Vinh, escritas no ano de 1843, cuja festa se celebra a 24 de Novembro.