6 de novembro de 2013

Do Tesouro da Igreja

                     A respeito da APRESENTAÇÃO DE NOSSA SENHORA: “Acreditou na mensagem divina e concebeu pela sua fé” - St. Agostinho

Peço-vos que atendais ao que disse Cristo, o Senhor, estendendo a mão sobre os seus discípulos: São estes a minha mãe e os meus irmãos. O que cumpre a vontade de meu Pai, que me enviou; esse é meu irmão, minha irmã e minha mãe. Porventura não cumpriu a vontade do Pai a Virgem Maria, ela que acreditou na mensagem divina, que concebeu pela sua fé, que foi eleita para que dela nascesse entre os homens o que havia de ser a nossa salvação, que foi criada por Cristo, antes de Cristo ser criado nela?
Certamente que Santa Maria cumpriu, com toda a perfeição, a vontade do Pai e, por isso, é mais importante a sua condição de discípula de Cristo do que a de mãe de Cristo, é mais ditosa por ser discípula de Cristo do que por ser mãe de Cristo. Deste modo, Maria foi bem-aventurada, porque, antes de dar à luz o seu mestre, trouxe-o no seu seio.
Repara se não é tal como eu digo. Passando o Senhor, seguido por multidões e realizando milagres, disse uma mulher: Ditoso o ventre que Te trouxe. E o Senhor, para nos ensinar que não se deve procurar a felicidade nas realidades de ordem material, o que é que respondeu? Felizes antes os que escutam a palavra de Deus e a põem em prática. Por isso, Maria é ditosa também porque ouviu a palavra de Deus e a cumpriu. Trouxe no seu seio o corpo de Cristo, mas, melhor ainda, guardou na sua mente a verdade de Cristo. Cristo é a verdade, Cristo teve um corpo: na mente de Maria esteve Cristo, a verdade; no seu seio esteve Cristo feito carne, um corpo. E é mais importante o que está na mente do que o que se leva no seio.
Maria foi santa, Maria foi ditosa, mas mais importante é a Igreja do que a própria Virgem Maria. Em que sentido? Enquanto Maria é parte da Igreja, um membro santo, excelente, um membro supereminente, mas um membro da totalidade do corpo; ora, o corpo inteiro é mais do que um dos seus membros. A cabeça deste corpo é o 
Senhor, e o Cristo total constitui a cabeça e o corpo. Que mais diremos? Temos, no corpo da Igreja, uma cabeça divina, temos o próprio Deus por cabeça.
Portanto, amadíssimos irmãos, olhai para vós mesmos: também vós sois membros de Cristo, corpo de Cristo. Assim o afirma o Senhor, de maneira equivalente, quando diz: Estes são a minha mãe e os meus irmãos. Como sereis mãe de Cristo? O que escuta e cumpre a vontade do meu Pai, que está no Céu, esse é meu irmão, minha irmã e minha mãe. Podemos entender aqui o significado que nos dá Cristo de “irmãos” e “irmãs”: a herança celestial é única, e, portanto, Cristo, que sendo único não quis estar só, quis que fôssemos herdeiros do Pai e seus co-herdeiros.
................................................................
Dos Sermões de St. Agostinho, Bispo: Sermão 25, 25, 7-8; PL 486, 937-938

Sem comentários:

Enviar um comentário