9 de agosto de 2013

DO TESOURO DA IGREJA

Declaração do Dogma da Assunção de Nossa Senhora aos Céus em Corpo e Alma (*)

“Pelo quê, depois de termos dirigido a Deus repetidas súplicas, e de termos invocado a luz do Espírito de Verdade para glória de Deus omnipotente, que à Virgem Maria concedeu especial benevolência; para honra de seu Filho, Rei imortal dos séculos e triunfador do pecado e da morte; para o aumento da glória da sua augusta Mãe; e para gozo e júbilo de toda a Igreja – com a autoridade de Jesus Cristo, dos Bem-aventurados Apóstolo S. Pedro e S. Paulo e com a Nossa, pronunciamos, declaramos e definimos ser dogma divinamente revelado que: A IMACULADA MÃE DE DEUS, A SEMPRE VIRGEM MARIA, TERMINADO O CURSO DA VIDA TERRESTRE FOI ASSUNTA EM CORPO E ALMA À GLÓRIA CELESTIAL.

“Pelo quê, se alguém, o que Deus não permita, ousar voluntariamente negar ou pôr em dúvida esta nossa definição, saiba que naufraga na fé divina e católica.

Para que chegue ao conhecimento de toda a Igreja esta Nossa definição da Assunção corpórea da Virgem Maria ao Céu, queremos que se conservem estas letras para perpétua memória; mandamos também que os seus transuntos ou cópias, mesmo impressas, desde que sejam subscritas pela mão de algum notário público, e munidas com o selo de alguma pessoa constituída em dignidade eclesiástica, se lhes dê o mesmo crédito que às presentes se fossem apresentadas e mostradas.

A ninguém pois seja lícito infringir esta nossa declaração, ou temerariamente opor-se-lhe e contrariá-la. Se alguém presumir intentá-lo, saiba que incorre na indignação de Deus omnipotente e dos Bem – aventurados apóstolos S. Pedro e S. Paulo.

Dada em Roma, junto de S. Pedro, no ano do Jubileu maior, no dia primeiro de Novembro, no ano duodécimo do Nosso Pontificado.

EU PIO
                                                  Bispo da Igreja Católica,
           assim definindo subscrevi
 (*) Papa Pio XII, 1 de Novembro de 1950.

Sem comentários:

Enviar um comentário