9 de agosto de 2013

Funcionamento da Paróquia durante o mês de Agosto de 2013

a) Abertura da Igreja:
De 2ª Feira a Sábado: 16.00h – 19.45h
Domingos: 10.15h -13.15h; 17.00h-20.00h

b) Horário de Missas:
De 2ª F a Sábado: 18.30h;
Domingos e Dias Santos de Preceito: 11.00h e 19.00h
Obs. – Meia hora antes das Missas da tarde, reza-se o Terço, havendo à 5ª Feira 
Exposição e Bênção com o Santíssimo Sacramento. 

c) Atendimento de Secretaria:
3ª Feira a 6ª Feira: 16.30h-18.00h

d) Confissões:
Sempre que a Igreja se encontre aberta e alguém o solicitar. Se não estiver no confessionário algum sacerdote, peça a sua presença na Secretaria. Por estarmos em tempo de férias e ausências prolongadas dos sacerdotes em actividades pastorais, não expomos o habitual horário de confissões. 

CATEQUESE DE 2013/2014 NA NOSSA PARÓQUIA

a) Catequese de crianças (Estão abertas as inscrições)

         1. Afixação de horários definitivos: 03 de Setembro, 3ª Feira
          2. Começo das Aulas: Semana que principia na 2ª Feira, 7 de Outubro
3. Informação sobre as datas das Festas da Catequese do Ano Catequético de 2013/2014:
    03 de Setembro, 3ª Feira

 b) Cursos para adultos (Inscrições na Secretaria)

1. CATECÚMENOS (Orientação: P. Rui Rosas): 
3ªs Feiras, 19.15h. 
As aulas começam a 8 de Outubro, 3ª Feira, 19.15h; Celebração dos Sacramentos da Iniciação Cristã: na Vigília Pascal, 21.30h, Sábado, 19 de Abril de 2014.
2. PREPARAÇÃO PARA O CRISMA DE ADULTOS (Orientação: P. Rui Rosas) Aulas: 4ªs Feiras, 19.15h (com outros grupos a funcionar a outras horas). 
As Aulas começam a 15 de Outubro, 3ªFeira – 19.15h. Administração do Sacramento do Crisma: em data a anunciar no primeiro dia     de aulas
3. TEOLOGIA PARA TODOS (Orientação: P. João Campos) 
Aulas: 5ªs Feiras, 19.15h e 21.30h.    
 As sessões iniciam-se a 17de Outubro, 5ª Feira, às 19.15h repetindo-se no mesmo dia às 21.30h


Obs. – Na primeira aula destes cursos serão especificados os horários e entregues os sumários das diversas lições.

AGRUPAMENTO DE ESCUTEIROS Nº 683

   Terminado em 2 deste mês o Acampamento do Agrupamento, que se realizou no Parque Permanente do Bonito (Entroncamento), as actividades relativas ao Ano escutista transacto terminaram.
   O recomeço das actividades habituais, que terá lugar no mês de Setembro, será anunciado oportunamente.
   Durante este mês de Agosto, a sede encontra-se encerrada.

No mês passado de Julho

                     1. Imposição do Escapulário de Nossa Senhora do Carmo. No dia 16 de Julho, Festa de Nossa Senhora do Carmo, foram impostos 30 escapulários a paroquianos e pessoas que se inscreveram. A cerimónia decorreu durante a missa das 18.30h desse dia. Que Maria Santíssima abençoe todos os que receberam esta “carícia” tão maternal de Nossa Senhora que, como boa Mãe, deseja ardentemente a salvação dos seus filhos e que eles se encontrem no Céu, com a Santíssima Trindade, todos os Anjos e Santos, e ela mesma, o mais rapidamente possível.

                 2. Renúncia de uma pessoa que recebia ajuda alimentar da paróquia. Num mundo às vezes complexo e pouco sério em relação às atitudes e comportamentos, gratifica e vale a pena salientar, embora de forma anónima, o gesto de uma pessoa que era assistida pelos nossos serviços sócio-caritativos. Tendo arranjado um emprego e melhorado a situação familiar, renunciou a favor de outrem os benefícios que recebia mensalmente da paróquia. Muito obrigado e que Nossa Senhora da Porta do Céu a proteja.  Assim dá gosto trabalhar e anima o nosso espírito de colaboração e atendimento.
Graças a Deus, não é a primeira vez que esta iniciativa tão salutar acontece.

Ausências de sacerdotes no mês de Agosto

P. João Campos: até dia 16, 6ª Feira: Férias;

P. Carlos Santamaria: de dia 24, Sábado a dia 30, 6ª Feira – actividade pastoral;

P. Enrique Calvo: até dia 18/08, Domingo – actividade pastorai; de dia 26, 2ª Feira a dia 4/09, 4ª Feira – actividade pastoral;

P. Rui Rosas: dia 24, Sábado, a dia 15/09, Domingo, Férias.


Do Pároco

      A 15 do mês corrente, celebraremos, com toda a alegria, a Assunção de Nossa Senhora ao Céu. Liturgicamente, é dia santo de guarda, isto é, dia em que a Santa Missa é uma obrigação gostosa de todos os fiéis. Como não nos sentirmos felizes por poder festejar da maneira mais adequada a subida ao Reino dos Céus da nossa Mãe e Mãe de Deus, Santa Maria, tal como viveu na terra, em corpo e alma.

   Desde a Cruz, quando Jesus lhe pede para assumir a maternidade de todos os seus discípulos na pessoa de S. João Evangelista. Este, com o maior júbilo e sentido de responsabilidade, levou Maria para sua casa e a acompanhou a paripassu até que Deus a fez subir para junto de Si para sempre.

     Compreendemos que o amor de Jesus, seu Filho dilecto, não poderia proceder de outra forma com a sua Mãe, que O gerou no seu seio, O viu nascer no presépio de Belém, observou o seu crescimento natural de homem verdadeiro, O educou esmeradamente e sofreu os horrores da Paixão e Morte (estando presente como Mãe consoladora na agonia do Calvário) e, depois, esperando com Fé firmíssima o momento da sua Ressurreição gloriosa. 

     Para premiar tanto amor e tanta fidelidade, Jesus, e, com Ele, o Pai e o Espírito Santo, quiseram que Maria fosse para o Céu, tal como apareceu na terra, tal como foi corredentora com Cristo, em corpo e alma.

     No entanto, não esqueçamos que no Céu tudo é mais sublime, porque a criatura que o Senhor chama para lá, participa e vive com a maior intensidade no Amor perfeito de Deus. Assim, as qualidades virtuosas que aqui na terra caracterizaram uma pessoa são aumentadas e totalmente purificadas. 

     Nesta ordem de ideias, a maternidade que Jesus pediu a sua Mãe em relação a nós, no Céu é vivida com o maior empenho e a máxima perfeição. Nossa Senhora, se já na terra mostrou que era verdadeiramente Mãe dos discípulos de Cristo, promovendo a sua unidade e reunindo-os à sua volta até à vinda prometida do Espírito Santo, no Céu, aumenta no seu Coração Imaculado de Mãe a capacidade de nos amar mais e melhor. 

     Quantos favores e benefícios não deveremos à constante vigilância de Maria Santíssima, que nos olha do Céu como Mãe zelosa! Mesmo quando o nosso comportamento não prima pela lealdade com os ditames de Cristo, o “trabalho” maternal de Maria far-se-á sentir, lembrando a Jesus que as nossas fraquezas foram remidas por Ele na Paixão. Além disso, se as nossas mãos estão totalmente vazias de méritos e até sujas com o pecado, pelo menos terá Jesus de considerar que ela nos ama com o mesmo tipo de amor maternal com que O aceitou gerar, criar e educar, a quando da anunciação feita pelo Arcanjo S. Gabriel. Por sua “culpa”, isto é, porque Jesus lho pediu expressamente no Calvário, ela é nossa Mãe e gosta de nós como todas as boas mães gostam dos filhos que Deus lhes dá.

     Este argumento deverá pesar muito na forma de Jesus nos julgar. Não é que a sua infinita misericórdia necessitasse de um pedido ou de um conselho para nos perdoar; mas Jesus continua a ser homem perfeito e, por isso, Filho de Maria. E não há um bom Filho que não seja permeável aos pedidos de uma boa Mãe.

     Lembremos, a propósito, que Maria exerce uma autoridade materna sobre Jesus dum modo discreto, mas eficaz. Nas Bodas de Caná, ela é a razão principal para que Cristo, apesar de mostrar inicialmente uma certa relutância, realize o seu primeiro milagre. Maria apenas Lhe disse: “Não têm vinho.” Foi o suficiente para que toda a argumentação do seu Filho não vingasse. A vontade de Maria prevaleceu e Jesus transformou a água num vinho esplêndido!

     Vivamos com intensidade a Solenidade da Assunção de Nossa Senhora, pondo nas suas mãos de Mãe os nossos cuidados e as nossas petições. Jesus não ficará indiferente…

                     Imagem: Coroação de Nossa Senhora. Quadro de Ruben

DO TESOURO DA IGREJA

Declaração do Dogma da Assunção de Nossa Senhora aos Céus em Corpo e Alma (*)

“Pelo quê, depois de termos dirigido a Deus repetidas súplicas, e de termos invocado a luz do Espírito de Verdade para glória de Deus omnipotente, que à Virgem Maria concedeu especial benevolência; para honra de seu Filho, Rei imortal dos séculos e triunfador do pecado e da morte; para o aumento da glória da sua augusta Mãe; e para gozo e júbilo de toda a Igreja – com a autoridade de Jesus Cristo, dos Bem-aventurados Apóstolo S. Pedro e S. Paulo e com a Nossa, pronunciamos, declaramos e definimos ser dogma divinamente revelado que: A IMACULADA MÃE DE DEUS, A SEMPRE VIRGEM MARIA, TERMINADO O CURSO DA VIDA TERRESTRE FOI ASSUNTA EM CORPO E ALMA À GLÓRIA CELESTIAL.

“Pelo quê, se alguém, o que Deus não permita, ousar voluntariamente negar ou pôr em dúvida esta nossa definição, saiba que naufraga na fé divina e católica.

Para que chegue ao conhecimento de toda a Igreja esta Nossa definição da Assunção corpórea da Virgem Maria ao Céu, queremos que se conservem estas letras para perpétua memória; mandamos também que os seus transuntos ou cópias, mesmo impressas, desde que sejam subscritas pela mão de algum notário público, e munidas com o selo de alguma pessoa constituída em dignidade eclesiástica, se lhes dê o mesmo crédito que às presentes se fossem apresentadas e mostradas.

A ninguém pois seja lícito infringir esta nossa declaração, ou temerariamente opor-se-lhe e contrariá-la. Se alguém presumir intentá-lo, saiba que incorre na indignação de Deus omnipotente e dos Bem – aventurados apóstolos S. Pedro e S. Paulo.

Dada em Roma, junto de S. Pedro, no ano do Jubileu maior, no dia primeiro de Novembro, no ano duodécimo do Nosso Pontificado.

EU PIO
                                                  Bispo da Igreja Católica,
           assim definindo subscrevi
 (*) Papa Pio XII, 1 de Novembro de 1950.

Recolecções em Agosto

Não se realizam neste mês. Recomeçarão em Setembro próximo.

Baptismos no mês de Agosto

Dia 22, 5ª Feira, 19.15h: Lourenço e Diogo Marques