4 de março de 2013

Do Tesouro da Igreja

A propósito da Instituição da Eucaristia: (*)

Na noite em que Nosso Senhor Jesus Cristo foi entregue, tomando o pão e dando graças, partiu-o e deu-o seus discípulos, dizendo: Tomai e comei, isto é o meu Corpo. Depois, tomando o cálice e dando graças, disse: isto é o meu Sangue. Tendo, portanto, pronunciado e dito sobre o pão: Isto é o meu Corpo, quem se atreverá a duvidar ainda? E tendo Ele afirmado e dito: Isto é o meu Sangue, quem ousará ainda duvidar, afirmando que não é o seu sangue?
Recebamo-los, portanto, plenamente convencidos de que se trata do Corpo e Sangue de Cristo. Com efeito, sob a forma de pão é o Corpo que te é dado, e, sob a forma de vinho, o Sangue, de tal maneira que, ao receberdes o Corpo e o Sangue de Cristo, te transformes com Ele, num só corpo e num só sangue. Deste modo, tendo assimilado em nossos membros o seu Corpo e Sangue, tornamo-nos portadores de Cristo, tornamo-nos, como diz S. Pedro, participantes da natureza divina.
Outrora, discutindo Cristo comos judeus, dizia: Se não comerdes a minha Carne e não beberdes o meu Sangue, não tereis a vida em vós. Como eles não tivessem compreendido o sentido espiritual do que era dito, afastaram-se escandalizados, julgando que Ele os exortava a comer carne humana.
Existiam, na Antiga Aliança, os pães da proposição, mas esses, precisamente porque diziam respeito à Antiga Aliança, tiveram o sei fim. Na Nova Aliança, porém, trata-se de um pão do céu e de uma bebida de salvação, que santificam a alma e o corpo. Como o pão é próprio para a vida do corpo, assim o Verbo o é para a vida da alma.
Por isso, não deves olhar para o pão e o vinho eucarísticos como se fossem elementos simples e vulgares. São realmente o Corpo e o Sangue de Cristo, segundo a afirmação do Senhor. Muito embora os sentidos te sugiram outra coisa, tem a firma certeza do que te ensina a fé.
Se foste bem instruído pela doutrina da fé, acreditas firmemente que o que parece pão não é pão, muito embora seja sensível ao gosto, mas é o Corpo de Cristo, e o que parece vinho não é vinho, ainda que tenha esse sabor, mas é o Sangue de Cristo. Já antigamente, bem a propósito, dizia David nos salmos: O pão fortalece o coração do homem, e o óleo faz brilhar no seu rosto a alegria. Fortifica, portanto, o teu coração, tomando esse pão espiritual que fará brilhar a alegria no rosto da tua alma.
Oxalá que, de rosto iluminado por uma consciência pura e reflectindo como num espelho a glória do Senhor, possas caminhar de glória em glória, em Cristo Jesus nosso Senhor, a quem seja dada honra, poder e glória pelos séculos sem fim. Ámen.
.............................................................
(*) Das Catequeses de Jerusalém (Cat. 22. Mystagogica 4, 1.3-6.9; PG 33, 1008-1106) . Séc. IV.

Sem comentários:

Enviar um comentário