2 de outubro de 2011

Os frutos do Rosário (Outubro, mês do Rosário)

A força que o Rosário (Terço) transmite a quem o reza devotamente é experimentada todos os dias; mas pode ajudar-nos lembrar alguns exemplos comovedores:

1) O Bispo James Walsh, que esteve prisioneiro na China comunista de 1961 a 1973 escrevia mais tarde: “Encontrei no Rosário um salva-vidas que nunca falha. O meu grande alimento durante os doze anos de prisão foi o Rosário. Não tinha leituras religiosas, nem possibilidade de as obter; foi-me impossível celebrar a Santa Missa ou recitar o Breviário. Que fazer nestas condições? A resposta foi rápida e automática: o Rosário pode ser rezado com os dez dedos como se reza com o terço. Durante muitos anos tinha rezado as três partes do Rosário. Na prisão sempre pude rezar seis, quase sempre doze e por vezes dezoito Terços”.
2) Os missionários que chegaram ao Japão em 1865, descobriram um bom grupo de japoneses que tinham conservado a fé cristã, isolados do resto do mundo. Um dos meios de que se serviram para manter viva a fé foi o Terço. Os que não foram mortos nas perseguições ensinaram esta oração mariana aos filhos e o mesmo fizeram estes aos seus sucessores. A festa de Nossa Senhora do Japão, que se celebra naquelas terras a 17 de Março, recorda o descobrimento de aqueles cristãos descendentes da primeira evangelização.
3) O Cardeal Jonzas Andrys Backis, arcebispo de Vilnius (Lituânia), com ocasião do Congresso eucarístico internacional de Guadalajara, na sua homilia a 7 de Outubro de 2004, deu o seguinte testemunho: Os lituanos, disse, jovens, crianças e adultos confiaram desde sempre na protecção da Mãe de Deus mediante a reza do Terço. Durante a segunda guerra mundial, os alemães pediam aos lituanos um documento de identificação. Como muitos não tinham, mostravam o terço. Era suficiente para os identificar. Quando os soviéticos tomaram o poder e deportaram, para a Sibéria e outros lugares, famílias inteiras em carruagens de gado, por vezes o único que levavam consigo era o terço. Os presos lituanos faziam terços com migalhas de pão molhadas e deixadas secar e unidas por uma linha. Na minha família, disse o Cardeal, ainda conservamos um terço de essa época.
No Século que estamos a iniciar também existem perigos e ameaças e grandes desafios para todos os cristãos. O Beato João Paulo II queria que a Igreja do terceiro Milénio do Cristianismo começasse a caminhar “ de terço na mão”, e orando pela Paz e pela Família. Retomemos hoje estas intenções tão prementes que o Santo Padre nos quis propor na sua Carta Apostólica, O Rosário da Virgem Maria.

Sem comentários:

Enviar um comentário