6 de junho de 2011

DO TESOURO DA IGREJA:

A Sagrada Eucaristia, Mistério de Amor
A Sagrada Eucaristia é a mais comovedora manifestação do Amor de Deus pelos homens. Por isso entendemos bem que o autor de Caminho se pergunte:”Saber que me queres tanto, meu Deus, e... não enlouqueci?!”( Caminho, 425 ). Ele próprio costumava considerar que não existe outra explicação para que o Senhor tenha querido ficar ao nosso lado do que o seu Amor. Um amor que se compadece da nossa fraqueza. Somos como o profeta Elias, desanimado e caído no deserto à sombra dum junípero. A ele envia o Senhor um anjo que lhe traz pão cozido e agua. O anjo diz-lhe “ «Levanta-te e come, pois tens ainda um longo caminho a percorrer.» Elias levantou-se, comeu e bebeu; reconfortado com aquela comida, andou quarenta dias e quarenta noites, até chegar ao Horeb, o monte de Deus” (1 Reis 19, 7). Também nós, para percorrermos o caminho da vida, contamos com o Santo Viático (alimento para o caminho ou via em latim). Ele dá-nos a força para caminhar até ao Céu.

Assim como a Eucaristia é um desafio constante para a nossa fé, também o é para o nosso amor. Contemplar o Amor grandioso de Deus por nós que envolve a Eucaristia, é um contínuo apelo a acender o amor nos nossos corações e corresponder na medida em que nos for possível. Esse desejo de corresponder tem muitas manifestações práticas. É compreensível que o amor agradecido se tenha concretizado em manifestações materiais como são os templos, os tabernáculos, os ricos vasos sagrados e as magníficas custódias processionais , lavradas para honrar Nosso Senhor. As variadas devoções eucarísticas que surgiram ao longo dos tempos são consequência da fé, mas comandadas pelo amor..

Uma pessoa apaixonada, quase sem se dar conta , pensa a toda hora naquilo que ama. No nosso caso, o amor a Nosso Senhor na Eucaristia fará com que conversemos com Ele todo o dia, procurando-O nos sacrários com o pensamento, cumprimentando-O quando passamos perto de uma igreja, unindo-nos às Missas que se estejam a celebrar no mundo em cada momento do dia, visitando-O e fazendo oração na sua presença, comungando com o desejo (comunhão espiritual) muitas vezes.

Por isso, também a procissão do dia do Corpo de Deus recorda que o Senhor precisa de nós como “custódias vivas” que sejam almas eucarísticas e levem Jesus Cristo, nas suas vidas, a todos os lugares e ambientes. De essa maneira a Igreja será no mundo, especialmente por meio dos seus fiéis leigos, uma continua procissão do Corpus Christi, que evangelizará diariamente a sociedade.

Sem comentários:

Enviar um comentário