2 de outubro de 2008

Pensamentos de São Josemaria sobre o chamamento universal à santidade

São Josemaria tinha 26 anos quando viu aquilo que Deus queria que ele fizesse. Foi no dia 2 de Outubro de 1928. A mensagem que lhe foi comunicada nessa altura como se se tratasse de uma visão consistia no chamamento universal à santidade, que a Igreja veio a fazer seu no Concílio Vaticano II. Em 1939 publicou um pequeno livro que viria a tornar-se um clássico da espiritualidade, a que deu o nome de Caminho, onde expõe em parágrafos breves e numerados aquilo que então viu e aquilo que Deus lhe foi comunicando depois.

«Que a tua vida não seja uma vida estéril. – Sê útil. – Deixa rasto. – Ilumina, com o resplendor da tua fé e do teu amor. Apaga com a tua vida de apóstolo, o rasto viscoso e sujo que deixaram os semeadores impuros do ódio. – E incendeia todos os caminhos da Terra com o fogo de Cristo que levas no coração» (n. 1)

«Paradoxo: é mais acessível ser santo que sábio, mas é mais fácil ser sábio que santo.» (n. 282)

«Um segredo. – Um segredo em voz alta: estas crises mundiais são crises de santos. – Deus quer um punhado de homens “seus” em cada actividade humana. – Depois… “Pax Christi in regno Christi” – a paz de Cristo no reino de Cristo.» (n. 301)

«Ser pequeno. As grandes audácias são sempre das crianças. – Quem pede… a lua? – Quem não repara nos perigos, ao tratar de conseguir o seu desejo? “Ponde” numa criança “destas” muita graça de Deus, o desejo de fazer a sua Vontade (de Deus), muito amor a Jesus, toda a ciência humana que a sua capacidade lhe permita adquirir…, e tereis retratado o carácter dos apóstolos de hoje, tal como indubitavelmente Deus os quer.» (n. 857)

(Caminho, Prumo - Rei dos Livros, Lisboa, 1998)

Sem comentários:

Enviar um comentário