22 de fevereiro de 2008

Teresa de Ávila e a Humanidade Santíssima de Jesus

Teresa de Cepeda y Ahumada, que veio a ser Santa de Teresa de Jesus, nasceu em Ávila a 28 de Março de 1515 e faleceu em Alba de Tormes a 4 de Outubro de 1582. Fundou a reforma da Ordem Carmelita e é Doutora da Igreja. Adoptou como nome de religião «Teresa de Jesus» pelo amor que tinha pela Humanidade do Senhor.

«Isso de se afastar daquilo que é corpóreo bom deve ser, certamente, pois gente tão espiritual o diz; mas, a meu ver, há-de ser quando a alma já está muito adiantada, porque até aí, está claro que se há-de procurar o Criador pelas criaturas. Tudo é como a mercê do Senhor fizer a cada alma; nisso não me meto. O que gostaria de dar a entender é que não deve entrar nessa conta a santíssima Humanidade de Cristo (…) Mas que nós com manha e com cuidado nos acostumemos a não procurar com todas as nossas forças trazer sempre diante – e Deus queira que seja sempre – esta sacratíssima Humanidade, isto é que eu digo que não me parece bem e é como se a alma andasse no ar, segundo dizem; porque parece que não tem apoio, por muito que lhe pareça andar cheia de Deus.

É uma grande coisa, enquanto vivemos e somos humanos, trazê-l’O humano (…); nós não somos Anjos, temos corpo; querer-nos fazer Anjos estando na terra – e tão na terra como estava eu – é um desatino; é necessário ter um apoio no pensamento para o que é corrente; talvez algumas vezes a alma saia de si e ande tão cheia de Deus que não é precisa coisa criada para a recolher. Mas isso não é tão corrente, que em negócios e perseguições e trabalhos, quando não se pode ter tanta quietude, e em tempo de securas, é muito bom amigo Cristo, porque O vemos Homem e reparamos nas fraquezas e trabalhos, e é uma companhia»

(TERESA DE JESUS, Libro de la vida, cap. 22, 8-10; a tradução do original castelhano é nossa)

Sem comentários:

Enviar um comentário