22 de dezembro de 2007

Pensamentos do Santo Cura d'Ars

Jean Marie Baptiste Vianney, o Santo Cura de Ars, não escreveu nenhum livro, não fundou nenhuma congregação, não foi Bispo nem Papa nem Mártir. Foi simplesmente o Pároco de uma aldeia – Ars – na Diocese de Lyon, em França, durante a primeira metade do século XIX. Mas revolucionou a história da Igreja. Ele foi com a sua penitência, a sua dedicação às almas e sobretudo o seu amor a Deus, um foco de calor que atraiu de todo o mundo multidões que queriam receber dele a sentença de Cristo que perdoa. Eis alguns pensamentos tirados da sua pregação:
«Eu Vos amo, meu Deus, e o meu único desejo é amar-Vos até ao último suspiro da minha vida. Eu Vos amo, Deus infinitamente amável, e prefiro morrer a amar-Vos a viver um só instante sem Vos amar. Eu Vos amo, Senhor, e a única graça que Vos peço é a de amar-Vos eternamente. Eu Vos amo, meu Deus, e não desejo o Céu senão para ter a felicidade de Vos amar perfeitamente. Eu Vos amo, meu Deus infinitamente bom, e não compreendo o Inferno senão porque lá não haverá nunca a consolação de Vos amar, Meu Deus, se a minha língua não Vos pode dizer a todo o momento que Vos amo, quero que o meu coração Vo-lo repita cada vez que respire.»

Sem comentários:

Enviar um comentário