13 de março de 2007

São José, Esposo da Virgem Stª Maria

Desde a Antiguidade que a Igreja venera São José mas pode-se dizer que a sua veneração tem vindo a crescer com o tempo, em paralelo com a de Nossa Senhora. O argumento de São Josemaria era o mesmo que os primeiros Padres usavam para a Virgem Santíssima: Deus podia ter escolhido aquelas pessoas que iam desempenhar um papel importante na educação do seu Filho, Jesus Cristo, e dotá-Ias, tendo em vista essa missão, com muitas graças. Se Deus podia e se convinha que o fizesse então é porque o fez.

A Escritura corrobora este raciocínio teológico. Pelo que narra São Mateus, José e Maria ainda não viviam juntos quando Ela concebeu. A gravidez naquelas circunstâncias punha a honra da esposa em sério risco. "José, sendo justo e não a querendo difamar, pensou despedi-Ia secreta mente" (Mt 1,19). O texto é um pouco lacónico mas permite entender que José desconhece a origem da concepção, até porque será o Anjo quem há-de informar que "o que n'Ela se gerou é do Espírito Santo" (Mt 1,20). No entanto, se ele não quer que Maria seja difamada é porque está convencido da sua inocência. A solução então é um repúdio secreto. Mas o que é um repúdio secreto? O repúdio é uma declaração por parte do marido que permite à esposa casar com outro. Se ele é secreto, provavelmente, significa que a esposa fica com a possibilidade de o usar ou não. Ou seja, José dava a Maria a possibilidade de se casar com o pai da criança ou não. Só que esta solução só tem eficácia se é acompanhada pelo desaparecimento do marido actual de Maria, que é o próprio José. Desaparecendo José, Maria pode não casar com ninguém e a sua honra fica salva, porque, para todos os olhos, aquele que vai nascer é filho do marido desaparecido. E, ao mesmo tempo, a desonra cai sobre José, que é visto por todos como mau marido e mau pai.

De facto, o Anjo que lhe aparece em sonhos começa por dizer "José, filho de David, não tenhas receio de receber Maria, a tua Esposa" (Mt 1,20). Portanto José tinha medo de receber Maria, que seria a solução mais fácil. José temia fazer mal não por deixá-Ia sem castigo mas porque talvez se sentisse culpado.

Era um modo heróico de proceder. José perdia a esposa, perdia tudo o que possivelmente tinha ido guardando em vista do futuro casamento, e perdia ainda a sua boa fama. Mas não via outra saída. A sua actuação, no entanto, mereceu o envio do Anjo. José é o modelo do sacrifício completo e silencioso, por amor.

Sem comentários:

Enviar um comentário