13 de fevereiro de 2007

São Pedro, Apóstolo

Chamava-se Simão e o seu pai João. Era natural de Betsaida, cidade que se situa no extremo Norte da Galileia, na fronteira. De Betsaida era também Filipe. Tinha, pelo menos um irmão, chamado André, que também foi um dos Doze. Era pescador e encontramo-lo a pescar nas águas do Lago em frente a Cafarnaum.
Foi a este Apóstolo que Jesus confiou o governo da sua Igreja e mudou o seu nome para Kepha ou Pedro em previsão da sua função de alicerce, apoio, rocha sobre a qual pretendia edificar.
Quais os motivos para o ter escolhido a ele e não a outros?
Simão não sobressai pela fortaleza: ele chega a negar Jesus três vezes. Também não parece ser o mais identificado com a sua missão redentora: o Senhor tem que o repreender quando pretendia desviá-l'O da Paixão. Nem é o mais rápido em reconhecê-l'O na margem do Lago: João antecipa-se. No entanto, foi ele o escolhido.
Uma primeira resposta é a da gratuidade do dom: Deus escolhe quem quer não por méritos do interessado mas por pura benevolência. Assim é escolhido cada um de nós.
Uma segunda resposta é a da visibilidade da acção da graça: Deus escolhe instrumentos desproporcionados para que se note mais nitidamente que a Obra é sua, que é Ele quem actua através dos seus servos.
Uma terceira resposta é a de pensar que Pedro tinha uma característica que o tornava especialmente apto: a ductilidade. Pedro não é uma alma rígida mas dócil, fácil de conduzir. O seu coração transparece no Evangelho de São Marcos, que, segundo a Tradição, reflecte a pregação do primeiro Papa. Nesse Evangelho há passagens onde se nota como Pedro tem uma visão benevolente para com aqueles que poderiam merecer alguma suspeita. Pedro chora por ter negado o Mestre. Pedro enche-se de tristeza quando Jesus lhe pergunta por terceira vez se O ama. E é este coração que o torna apto.
Procuremos pedir a São Pedro que nos quebre as durezas da alma. Não são elas quem nos torna fortes e apoio para Deus. Que Pedro nos ensine a saber ceder em tudo o que não é ofensa a Deus.

Sem comentários:

Enviar um comentário