13 de outubro de 2006

São Lucas, Evangelista

De São Lucas sabemos pouco, fora daquilo que nos deixou: um Evangelho e o Livro dos Actos dos Apóstolos. A Tradição atribui-lhe a profissão de médico e talvez fosse essa a qualidade que São Paulo procurara nele ao escolhê-lo por companheiro da sua viagem a Jerusalém. De facto, o Apóstolo devia sofrer já então de muitas dores porque, embora fosse relativamente novo, o seu corpo não tinha sido poupado a todo o tipo de provas e torturas (cf. 2 Cor 11,23-28; Act 14,19; 16,22; 27,41-43).
Mas Lucas aparece-nos como alguém que não é só cuidadoso com o corpo. Os seus dois livros, escritos sob a inspiração do Espírito Santo, são uma obra-prima de investigação, de selecção e de ordenamento de material sobre Jesus. Ele não tinha conhecido o Senhor. Era, como tantos cristãos que se converteram por acção dos Apóstolos, um discípulo de terceira ou quarta geração. Tinha-lhe sido dada a graça de acompanhar o grande Paulo e disso dá testemunho eloquente. Mas Jesus nunca O tinha visto, nem sequer numa aparição.
Quando Lucas acompanha Paulo que traz a colecta das comunidades da Ásia, da Acaia e da Macedónia a Jerusalém, e vê o seu mestre ser preso e mudado para a prisão de Cesareia, fica numa situação estranha numa terra que não é a sua. Paulo preso, e ele, em liberdade, mas sem poder fazer nada. Provavelmente aproveitou o tempo. Jerusalém possuía um grande tesouro: a memória da passagem do Senhor por aquela terra, quer em relatos escritos, quer nas próprias pessoas que tinham sido testemunhas dessa passagem. E Lucas lançou-se à tarefa de recolher tudo o que podia desse tesouro (cf. Lc 1,1-4).
A mesma ânsia de conhecer Jesus também nos deve mover quando lemos o Evangelho. São Josemaria dizia: «Não basta ter uma ideia geral do espírito que Jesus viveu; é preciso aprender com Ele pormenores e atitudes. É preciso contemplar a sua vida, sobretudo para daí tirar força, luz, serenidade, paz. Quando se ama alguém, deseja-se conhecer toda a sua vida, o seu carácter, para nos identificarmos com essa pessoa» (Amigos de Deus, n. 107).

Sem comentários:

Enviar um comentário